Midiamax
BUSCA: 
 Capa

 Últimas Notícias

 Pimenta no Reino

 Bastidores

 Transparência

 Política

 Polícia

 Emprego

 Tecnologia

 Esportes

 Geral

 Mundo

 Brasil

 Agronegócio

 Economia

 Cultura

 Cinema

 Entretenimento
Articulistas






Espaço do Leitor
Espaço do leitor
Blogs
 Alex Fraga

 Ana Cavalheiro

 Cozinha de Raízes

 Eugênia Amaral

 Falo Blogo Escrevo

 Festas e Eventos

 João Campos Online

 Papo de Pregão
 Fernando Soares
Mais Lidas
01 Polícia salva sucuri de ser apedrejada por populares em córrego dentro da cidade

02 Após apreensão de dinheiro, Delcídio acusa Reinaldo de caixa 2 e pede cassação

03 Polícia prende pedreiro que trocou celular por estupro de garota de 13 anos

04 Pecuarista sofre sequestro relâmpago na Costa e Silva e tem caminhonete levada

05 Debate presidencial tem tumulto e agressões entre jornalistas e seguranças nos bastidores

Acesso Fácil
Faça da Midiamax sua página inicial

09/11/2009 11:20

Médico ganha salário de R$ 37 mil em Figueirão; quatro vezes mais que o prefeito

Aumentar texto Diminuir texto

Celso Bejarano Jr. e Ìtalo Zikemura

Numa das menores cidades de Mato Grosso do Sul, a conhecida Figueirão, emancipada seis anos atrás, o salário do médico da cidade supera a soma total do ganho mensal do prefeito e dos nove vereadores do município. E pela regra, segundo o TCE (Tribunal de Contas do Estado), corte que existe para fiscalizar os recursos públicos, a remuneração de um servidor municipal não poderia ser maior que a do prefeito.

Na pequenina Figueirão, de 3,5 mil habitantes, de maio para cá um médico contratado pela prefeitura recebe R$ 37 mil mensais, salário 4.6 vezes superior ao do prefeito, que ganha R$ 8 mil.

Semana passada, por determinação do TCE, o município de Dourados, que paga R$ 13 mil mensais ao prefeito Ari Artuzi, do PDT, determinou a redução do ganho mensal de 20 médicos, cujas remunerações ultrapassam a de Artuzi.

O Midiamax tentou desde a sexta-feira conversar com o prefeito de Figueirão Getúlio Furtado Barbosa, de PMDB, mas não conseguiu. Ora ele se reunia com assessores, ora visitava obras. O assunto a ser tratado com ele fora informado a sua chefe de gabinete. Hoje, o prefeito seguiria para Brasília.

De acordo com processo número 416/2009, assinado no dia 16 de maio deste ano por Furtado Barbosa, o clínico geral Gerson Vítor Dalmolin, fora contratado por um período de sete meses.

Pelo extrato do contrato de número de 16/2009, que expira em dezembro, o médico combinou com a prefeitura que pela empreitada receberia R$ 259.000,00, ou R$ 37.000 mensais.

O acordo diz que o médico deve prestar serviço laboratorial a população do município por oito horas diárias e ainda que ele cumpra 15 plantões de 24 horas cada durante os sete meses. Ou seja, para embolsar o atraente salário, o médico precisa trabalhar 40 horas por semana e cumprir dois plantões mensais.

Noutro contrato, o de número 018/2009, firmado no dia 28 de maio deste ano, a prefeitura de Figueirão contratou o médico Rafael Straioto Quirino Cavalcante, também por um salário sedutor.

A missão do clínico geral Quirino Cavalcante é parecida a do outro médico: ele deve cuidar do atendimento de urgência/emergência e ainda do serviço laboratorial por oito horas diárias e ainda cumprir 15 plantões.

Ocorre que no contrato firmado com esse médico, a prefeitura promete pagar R$ 306.000,00 pelo período de um ano. Isto é, o médico Cavalcante recebe R$ 25.500,00 por mês, soma que também supera com folga os salários do prefeito e dos vereadores da cidade, que ganham em torno de R$ 1 mil por mês.

Se juntados os salários dos dois médicos, nota-se que a prefeitura gasta com eles R$ 62.5 mi. Traduzindo a soma: a remuneração mensal dos clínicos daria para pagar o prefeito e os vereadores por quatro meses.

Figueirão aluga um hospital e nele atuam os dois médicos. O município possui um posto de saúde que conta com o atendimento de uma médica.

A prefeitura começa a construir o hospital ainda neste mês e, depois de pronto, deve promover um concurso público para a escolha de médicos.

Em Dourados, por exemplo, segunda maior cidade do Estado, o salário de um médico que trabalha 20 horas semanais pelo município, recebe em torno de R$ 1.5 mil.

Comentários (29)

28/07/2011 13:00
José Pinheiro dos Santos
Ué , não entendi? o que tem em errado o médico ganhar mais que o prefeito? o Médico é quem cuida dos doentes o m´dico e quem vai passar noites em claro fazendo isso resumindo o médico vai cuidar do povo, mais e o prefeito o q faz? ele trabalha poucas horas por dia, trabalhando em adm. e seus benefícios são altíssimos ninguem ai contava com isso néh, mádicos, professores, bombeiros, esses sim tem

15/11/2009 15:45
Joerlei Lima
Esses salários são para todos os médicos?
Quanto ganham os médicos concursados do posto de saúde?
Salário de 37 mil é mais do que muitos hospitais de ponta pagam a especialistas.

12/11/2009 20:00
Carlos Henrique
Essa Nina deve estar equivocada, realmente, não conhece nem metade do que se passa por aqui. O pessoal aqui na cidade, evita consultar com esse médico, porque pelo que vemos (eu, inclusive, já consultei com ele) é surdo (ou aparenta ser). Nós temos que praticamente berrar no consultório para ele entender. E outra coisa, depois que esse médico passou a trabalhar aqui, pelo que ouvimos falar, se tiver 1 cirurgia/mês é muito. O povo (inclusive eu, novamente) prefere acordar 5h da manhã para ser atendido no posto a ser atendido por esses médicos. Médico tem ganhar bem! Mas esse valor é um absurdo! Enquanto isso, os professores da rede municipal não ganham nem 5% desse valor.

12/11/2009 13:07
Maíra
É o MIDIAMAX, bem que poderia visitar o pequeno município de Figueirão e ter uma prosa com os moradores para verificar se eles que dependem do atendimento desse médico estão satisfeitos. Irão ouvir cada resposta....

11/11/2009 20:01
Nina
Claro que sim.
Ou você acha que um médico vai se submeter a trabalhar em um lugar de difícil acesso, com várias limitações por um salário medíocre?
O médico deve ser mais valorizado, as pessoas acham que saúde é de graça e que se acha médicos bons em qualquer esquina.. não é assim que as coisas funcionam, João.
Saúde é o principal e os profissionais merecem sim um salário a altura.
Você, em um lugar com tantas limitações assim, se submeteria a trabalhar recebendo um salário baixo?
Acho que não.

11/11/2009 17:04
Silva Marques
Parabéns ao prefeito. O salário é justo e merecido. São profissionais que devem ser valorizados. jornalista também deveria ser, se vcs ganhassem 20 mil ao invés de mil também ficariam felizes. É uma cidade distante, difícil acesso. parabéns ao prefeito!

Próximo 
18h44
WhatsApp: Jovem que trabalha com vereador acusa assessor de ameaça de morte
17h46
STF derruba censura e revista nacional que cita Delcídio em escândalo volta ao ar
17h04
Polícia espera concluir na próxima semana caso sobre dinheiro achado com ex-vereador
Charge do dia
Charge
Bastidores
 
Pesquisa
 
Fenômeno
 
Fênix
 
Campanha
 
Derrotado
 
Língua
 
Climão
 
Visual
 
Escondido
 
Qualidades