Você está aqui

Tereré é declarado “Patrimônio” imaterial e cultural de Dourados

Campanha vai digulgar a lei junto à população.

  A partir de agora o Tereré, a bebida típica de Mato Grosso do Sul faz parte do “Patrimônio Cultural e Imaterial” da cidade Dourados. Uma lei neste sendo foi aprovada na sessão desta segunda-feira da Câmara Municipal por unanimidade.

         De autoria do vereador Alan Guedes (DEM) o projeto de lei ainda será submetido a uma segunda votação e passará pela sanção da prefeita Délia Razuk (PR), mas reflete antiga reivindicação de historiadores douradenses.

         O Tereré, segundo Guedes, “faz parte, há décadas, do dia a dia das famílias douradenses”. Originário das culturais paraguaia e indígena, as rodas de tereré são as responsáveis, conforme afirmação do vereador, por inúmeros momentos de lazer ao ar livre, bem como a integração entre famílias e amigos.

         Na justificativa do projeto de lei, Alan Guedes afirma que Mato Grosso do Sul foi o primeiro estado do Brasil a reconhecer a bebida que foi levada pelos paraguaios e índios Guarani Kaoiwá para todo o território. “Em nosso estado é consumido a todo o momento, sendo uma bebida apreciada por todos, desde crianças até os mais velhos”, disse o vereador.

         O Tereré, conforme o vereador democrata, “está presente nas empresas comerciais, nas oficinas mecânicas, nos canteiros de obras e escritórios, nas escolas, em todos os lugares sendo democrático e essencial ao pertencimento cultural do douradense”, finalizou Guedes que pretende fazer uma campanha de divulgação da lei e anunciá-la oficialmente no Dia do Povo Paraguaio que será comemorada na Casa Paraguaia de Dourados em festa que será realizada no próximo final de semana.

         

Tópicos