Você está aqui

Caridade: evento termina e 2 mil voluntários distribuem meia tonelada de alimentos

Treinamento e prática aconteceram no Carnaval

A nobreza da caridade e do trabalho voluntário é inexplicável e quem se dedica a essa boa ação sempre descreve sentimentos de amor, gratidão e dever cumprido. Durante o Carnaval, 2.104 pessoas, entre elas, cerca de 250 crianças participaram do 62ª Concafras PSE (Confraternização das Campanhas de Fraternidade Auta de Souza e Promoção Social Espírita), que aconteceu na Uniderp, em Campo Grande.

Nesta terça-feira (13) os voluntários ainda participam de estudos e o encerramento no final da manhã. O evento se iniciou no último sábado (10) com ensinamentos e no domingo (11) foi a vez da prática, quando os participantes levaram uma mensagem cristã e pediram doações de alimentos e roupas para serem distribuídas em comunidades carentes.

Os voluntários arrecadaram 427 kg de alimentos, 815 peças de roupas, 121 pares de calçados, além de um carrinho e berço que foram entregues nesta segunda-feira (12) em oito bairros da cidade.

O evento recebeu pessoas de 9 países, com de cerca de 40 estrangeiros. Pela segunda vez participando de uma Concafras, o professor peruano Hector Arias Aucca falou da vontade de levar a Campanha de Fraternidade Auta de Souza para Cusco, no Peru, onde mora. “É um trabalho muito importante que pretendemos levar para nosso país, futuramente”, afirma o caravaneiro que viajou durante três dias para o encontro.

Ações no bem

A Concafras é realizada há 62 anos sempre no Carnaval. Esta é a quinta vez que Campo Grande recebe o evento. O presidente da 62ª Concafras, João Carlos Rosa, destacou que os registros da edição de 2018 são resultado do planejamento da organização do congresso.

“As 138 cidades, 21 estados e 9 países que recebemos hoje refletem o trabalho desenvolvido nos últimos três anos, tanto aqui quanto em Uberlândia, onde acontece o mesmo evento de forma paralela. Os locais são devidamente selecionados e preparados com muita antecedência”.

O congresso ofereceu mais de 140 cursos para os participantes escolherem em diversas áreas de atuação. Os voluntários estiveram em 16 locais como em asilos e núcleos de trabalhos sociais já desenvolvidos na cidade para atuar com crianças, jovens, adultos e idosos em situação de vulnerabilidade. Foram desenvolvidas práticas de atividades com temáticas voltadas para a educação, assistência e promoção social, campanha de combate às drogas e ao alcoolismo e de prevenção ao suicídio e ao aborto.

Durante a abertura da Concafras, na noite desse sábado, a vice-governadora Rose Modesto deu as boas-vindas aos participantes destacando a importância do voluntariado. “Vocês têm chegado onde o poder público deveria chegar, mas não chega. Ao apoiar um evento como esse o Governo não está fazendo favor algum, até porque vocês têm contribuído muito mais com nós. Se o trabalho que essa instituição faz deixar de existir, os desafios seriam muito maiores em Campo Grande, no Brasil e no mundo”, afirmou.

 

A vice-governadora Rose Modesto participou da abertura do evento no sábado.

 

A edição de 2018, nas duas cidades, propõe uma profunda reflexão sobre um dos ensinamentos mais caros da Doutrina Espírita e de todos os cristãos, proferida por Paulo de Tarso: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm”. “Muitos lugares, muitas distâncias, muitas cidades, muitos países” reunidos na Concafras de Campo Grande, enfatizou o coordenador Vitor Rojas, na prece de abertura, ao rogar a Jesus para que “encha nossos corações de alegria nesses dias de bênçãos, paz, aprendizado e vivência”.

Espírita atuante e idealizador do Projeto Coletivo, o vereador municipal Lívio observou na solenidade de abertura que a importância da Concafras 2018 pode ser avaliada pelo apoio que o evento recebeu do Governo do Estado de MS. “É um recurso equivalente ao que muitos municípios destinam às festas tradicionais de Carnaval no Brasil, demonstrando o significado do encontro na multiplicação dos valores cristãos e espíritas”.

O vereador comentou, ainda, sobre a oportunidade do evento promover uma reflexão quanto à situação que o país vive atualmente no contexto político. “Tudo que nós temos na política é reflexo da nossa participação e da nossa omissão. A Concafras nos proporciona uma avaliação do que queremos construir, lembrando sempre, como orientamos no projeto Coletivo que a mudança começa em mim.”

Tópicos