Você está aqui

Hebe Camargo ganhará cinebiografia e musical sobre a trajetória artística

A apresentadora de tevê, morta em setembro de 2012, era chamada de Rainha da Tevê por seus admiradores

  • (Divulgação/ Correio Braziliense)

Hebe Camargo é uma das ausências mais sentidas da televisão brasileira. Morta em setembro de 2012, aos 83 anos, a apresentadora paulista reinou por algumas décadas em programas de entretenimento e entrevistas dedicados a todas as classes sociais e faixas etárias. Não à toa, era chamada de Rainha da Tevê por seus admiradores. Esses fãs poderão matar um pouco as saudades da artista em breve. 

Familiares de Hebe planejam um longa-metragem e um musical baseados na trajetória dela, que teve início no rádio, nos anos 1940, e ganhou todo o país na década seguinte, com a implementação do aparelho televisor no país.

 “Estamos em fase de planejamento e negociação dos projetos. Ainda não há definição de diretor, roteiro e artista para nenhum do dois produtos”, disse Cláudio Pessutti, sobrinho e ex-empresário de Hebe ao Correio. “Mas muita coisa boa vem por aí. Nossa ideia é perpetuar e celebrar o legado da Rainha da Televisão. O papel dela foi fundamental na comunicação. Seu perfil autêntico e magnético faz muita falta na tevê brasileira”, acredita Pessutti.

Amigo de longa data de Hebe, o colunista social cearense Lázaro Medeiros vibrou com a notícia de que a artista ganhará as telonas. “Marília Pera, que canta e interpreta muito bem, seria perfeita para vivê-la no cinema. Ambas têm o perfeccionismo como uma das principais características”, opinou ele. “Acho que Claudia Raia faria bem o papel também”. Lalá, como é conhecido, acredita no sucesso do projeto, desde que não se abra mão da alegria que marcou toda a trajetória da amiga.

Desde que começaram os rumores acerca de um filme sobre Hebe Camargo, muitos nomes foram cogitados para interpretá-las. Tudo não passa de especulação, já que o projeto ainda está engatinhando. Adriana Esteves, atualmente no ar em Babilônia, da TV Globo, Mariana Ximenes e Antônia Fontenelle foram algumas das atrizes que encabeçaram a lista de apostas. Em comum, o fato de todas serem loiras, uma das marcas de Hebe. Cacá Diegues estava cotado para dirigir a cinebiografia, mas teve de desistir por problemas de agenda.

Confira 15 momentos marcantes

1944 - Começa a trabalhar no rádio, como cantora, com apenas 15 anos, no programa Clube Papai Noel

1950 - Foi convidada a cantar o Hino da Televisão na inauguração da TV Tupi, no entanto, não pode comparecer. No mesmo ano, fez a primeira aparição na televisão, em um dueto com o cantor Ivo Curi.

1955 - Estreia o primeiro programa feminino da televisão, na TV Paulista. O mundo é das mulheres trazia cantores e convidados especiais.

1960 - Lança o primeiro LP, chamado Sou eu. Um ano depois, apresenta o disco Hebe comanda o espetáculo.

1964 - Hebe se casa com o empresário Décio Capuano.

1965 - Nasce o primeiro e único filho de Hebe, Marcello Camargo.

1966 - Estreia, na TV Record, aos domingos, o programa Hebe, já no tradicional formato que ficou marcado na sua carreira.

1973 - Casou-se com o empresário Lélio Ravagnani.

1981 - Foi para a TV Bandeirantes, onde continuou a apresentar o programa no mesmo formato, levando com ela a audiência da TV Record.

1981 - Em 1981, Hebe fez uma pausa forçada no programa que apresentava na TV Bandeirantes. Ela e o marido Lélio Ravagnani sofreram um acidente de avião. Uma pane no motor fez com que a aeronave caísse. Eles não se machucaram muito, mas, ao voltar à atração, Hebe disse que “viu a morte de perto”.

1985 - Hebe se irrita com o tratamento recebido na TV Bandeirantes, abandona o microfone e exige melhores condições para voltar ao trabalho.

1986 - A apresentadora é convidada a ir para o SBT, onde ficou por 24 anos. As atrações musicais e as entrevistas continuaram em um cenário maior e mais moderno — mas sempre com o velho e bom sofá.

2010 - Hebe descobre um câncer no peritônio.

2011 - Sem acordo com Silvio Santos, Hebe vai para a Rede TV!. O programa na emissora é interrompido algumas vezes por complicações do câncer.

2012 - Internada há duas semanas, a apresentadora morre após uma parada cardíaca.

Tópicos