Você está aqui

Mosaico MS: Viajar pelo Estado pode garantir férias mais acessíveis e cheias de diversão

Saiba tudo de mais bacana que existe aqui

Hoje te convido para exercitar o olhar regional e redescobrir os atrativos turísticos que existem, aqui mesmo, no Mato Grosso do Sul. São quase 80 municípios que guardam suas histórias e culturas peculiares. Você já sabe que temos aqui a maior parte do Pantanal brasileiro, também conhece um pouco das belezas do cerrado, mas já ouviu falar que em Mato Grosso do sul também existe uma pequena porção de Mata Atlântica? Três grandes biomas naturais em um único Estado, reunindo rios, lagos, cachoeiras, diversidade animal e vegetal únicos no mundo! E a possibilidade de ir a outro país ao atravessar a rua? Na verdade a dois países, nosso Estado faz fronteira seca com o Paraguai e com a Bolívia. Proximidade influenciou a cultura e a gastronômica das cidades vizinhas. 

Fato é que nos quatro cantos de mato Grosso do Sul é possível encontrar opções de passeios, atrativos, lugares para curtir e se divertir sozinho, com amigos ou com a família. Por isso, apresentamos um mosaico de Mato Grosso do Sul com sugestões de destinos que não custam muito e que podem garantir bons momentos para suas férias. 

Região Oeste: Rota do Pantanal   

A chamada depressão pantaneira, composta pelas cidades de Aquidauana, Miranda, Corumbá, Ladário e Anástacio, é onde encontramos o Pantanal, tombado pela Unesco como Patrimônio da Humanidade e Reserva da Biosfera.
É uma das regiões mais ricas em diversidade natural do planeta, com já catalogadas mais de 80 espécies de mamíferos, 650 de aves, 53 de répteis, 235 de peixes e um número acima de mil diferentes espécies de borboletas.
O Pantanal é regido sob o signo das águas com cheia nos meses de outubro a março e de seca entre junho a setembro. Saindo de partir de Campo Grande, utiliza-se a BR-262, a principal rodovia do Mato Grosso do Sul. São 138 km até Aquidauana e 205 km até Miranda. Entre os principais atrativos estão a Pesca Esportiva (março a novembro), Ecoturismo, Turismo Rural, de Aventura, Festas e Eventos Populares e Culturais. Em Aquidauana, por exemplo, encontram-se as ruínas da Cidade hispano-americana de Santiago de Xerez, fundada em 1600 por Rui Diaz Guzman e abandonada pela população residente, por volta de 1632. Já Miranda, possui a segunda maior população indígena do Estado. A influência da tribo Terena contribuiu para o enriquecimento cultural e artístico da cidade, através das danças, costumes, artesanatos e tradições. E no coração do Pantanal, Corumbá, o turista encontra uma cidade histórica, com destaque para o Casario do Porto, e cheia de belezas naturais, que são melhor contempladas em um passeio de chalana pelo Rio Paraguai. 

Região Sudeste: Rota Bonito-Serra de Bodoquena

Na região sudoeste de Mato Grosso do Sul encontra-se a Região Turística de Bonito-Serra da Bodoquena, composta pelos municípios de Bela Vista, Bodoquena, Bonito, Caracol, Guia Lopes da Laguna, Jardim, Nioaque e Porto Murtinho. A região é contemplada com inúmeros rios de águas cristalinas, aquários naturais, grutas, lagoas, crateras repletas de vida selvagem, rios piscosos, com peixes multicoloridos, história, cultura, gastronomia, dentre outros.
Seguindo as águas da Serra, chega-se a Bodoquena, lugar de deslumbrante paisagem que fica localizado no conjunto serrano. A beleza da vegetação cobrindo as encostas em contraste com a limpidez das águas dos rios possui inexplicável magia para o visitante. O município tem várias cachoeiras e uma delas é a maior do Estado, com 156 metros, a imponente Boca da Onça a qual empresta o nome a um atrativo de grande estrutura. Além deste, tem-se outros atrativos como o Hotel Fazenda Betione, que é cortado pelo Rio Betione e que possui vários balneários. A existência de rochas calcárias na região favorece a formação de sumidouros, depressões e cavernas com formações de belíssimas espeleotemas. Saindo de Campo Grande, pegue a BR-060 via Sidrolândia, ou BR-262 via Aquidauana. 

Região Leste: Rota Costa do Sol

A Costa Leste de Mato Grosso do Sul é composta pelos municípios de Anaurilândia, Aparecida do Taboado, Bataguassu, Brasilândia, Santa Rita do Pardo, Selvíria e Três Lagoas. Todos os municípios possuem território banhado pela Bacia do Rio Paraná, sendo todos os municípios lindeiros aos lagos formados pelo Complexo Hidrelétrico de Urubupungá, o maior complexo hidrelétrico do mundo. Tanto o Rio Paraná quanto seus afluentes, Rio Sucuriú, Rio Verde e Rio Pardo possuem uma exótica combinação de praias de areias brancas naturais com mata ciliar nativa. A região é de grandes lagos formados pelas Usinas Hidrelétricas de Iha Solteira, Engenheiro Souza Dias (Jupiá) e Sérgio Mota (Porto Primavera), com vários locais de ocupação turística, contendo milhares de ranchos, residências de veraneio, pousadas, atrativos bares e restaurantes em dezenas de loteamentos localizados nas margens dos rios. O destaque fica para os Balneários próximos a Três Lagoas que garantem um clima de litoral com praias de água doce e esportes aquáticos, alguns oferecem estadia em chalés, outros são day-use. 

Região Nordeste: Rota Vale do Aporé

A Região do Vale do Aporé contempla as cidades da região nordeste do Estado: Água Clara, Cassilândia, Chapadão do Sul, Inocência e Paranaíba. Com suas peculiaridades históricas e culturais apresentam um grande potencial para visitação turística, com destaque para as inúmeras cachoeiras, como a Cachoeira de Indaiá do Sul, com 27 metros de altura, a Cachoeira do Erminio Toledo, com 15 metros de altura, correnteza forte e grande volume de água, e a Cachoeira do Orlando Bonini, com 10 metros de altura, a Cachoeira do Senhor Anderson, com cerca de 15 metros de altura, além de outras menores. 

Região Norte: Rota dos Ventos

Com a riqueza do potencial turístico e econômico dos municípios de Alcinópolis, Bandeirantes, Camapuã, Costa Rica, Coxim, Figueirão, Pedro Gomes, Rio Verde de Mato Grosso, São Gabriel do Oeste e Sonora, credencia a região como pólo produtivo de peso em Mato Grosso do Sul. Apresenta rochas de 400 milhões de anos, lapidadas pelo vento, formam esculturas que encantam pela beleza de suas formas e instigam a imaginação. Terra dos bravos índios Caiapós e Coroados, banhada pelos rios Coxim, Correntes, Piquiri, Sucuriú e Taquari. Porta de entrada para a natureza intocada do Pantanal dos Paiaguás e o Pantanal da Nhecolândia que abriga baías, salinas, corixos, tuiuiús, garças, jacarés, capivaras, peixes e tantos outros animais que convivem em perfeita harmonia com os habitantes locais. Belas cachoeiras intactas e preservadas, riachos, córregos e ribeirões, piscinas naturais, cupins luminosos, sítios arqueológicos, grutas com inscrições rupestres, serras, morros, cânions e clima agradável, compõem o cenário ideal para prática do eco turismo, turismo rural, de aventura e safári ecológico.

*Renato Lima é jornalista e personal travel. Já viajou por 25 países e está no quarto passaporte. É autor do blogwww.renatolalonge.wordpress.com  Publica todas as quartas sobre viagens, turismo e vida no exterior. Fale com o autor: renato.mart@gmail.com (67) 99245-7574.

Tópicos