Você está aqui

Reinaldo nega irregularidades e diz que só recebeu dinheiro oficial da JBS

Delação de Wesley Batista cita governador

Citado na delação premiada feita pelos donos da JBS, maior produtora de carne animal do País, o governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), manifestou-se nesta tarde, por meio de nota à imprensa, na qual nega recebimento de propina e diz que tudo que recebeu da empresa, para sua campanha em 2014, foi feito de forma oficial, declarado à Justiça Eleitoral.

O conteúdo da delação de um dos donos da JBS, Wesley Batista, afirma que vigora em Mato Grosso do Sul, desde o governo de Zeca do PT, iniciado em 1999, esquema de propina envolvendo a concessão de incentivos fiscais. Sobre isso, Reinaldo diz que Wesley  fez suposições de fraudes em cinco termos de acordo de incentivos fiscais, dos quais um foi assinado em sua gestão.

“Esclareço que referido termo assinado em minha gestão teve como objeto investimentos para ampliação e geração de novos empregos em diversas unidades frigoríficas em Mato Grosso do Sul, conforme legalmente estabelecido pela política de incentivos estadual”, afirma o texto distribuído à imprensa.

A nota prossegue com o comentário de Reinaldo sobre valores que teria recebido irregularmente, segundo a delação. “Em relação à declaração de que recebi aproximadamente R$10.000.000,00 (dez milhões de reais) dos empresários, informo que o valor exato é de R$ 10.500.000,00, (dez milhões e quinhentos mil reais) repassados pelo PSDB nacional e que constam regularmente declarados na prestação de contas eleitoral de minha candidatura em 2014”.

Para encerrar, o governador argumenta que tem compromisso com a transparência na gestão pública e afirma que “qualquer outra alegação de fatos ilícitos envolvendo meu nome e a empresa JBS não condiz com a verdade, e será devidamente comprovado.”

Confira a íntegra

"Tendo em vista a delação do empresário Wesley Batista em que meu nome é citado, e em respeito ao povo de Mato Grosso do Sul, faço os seguintes esclarecimentos:

O empresário Wesley Batista apresentou em sua delação premiada suposições de fraude envolvendo cinco termos de acordo de incentivos fiscais com o Estado de Mato Grosso do Sul, dos quais apenas um foi assinado em minha gestão;

Esclareço que referido termo assinado em minha gestão teve como objeto investimentos para ampliação e geração de novos empregos  em diversas unidades frigoríficas em Mato Grosso do Sul, conforme legalmente estabelecido pela política de incentivos estadual;

Em relação à declaração de que recebi aproximadamente  R$10.000.000,00 (dez milhões de reais) dos empresários, informo que o valor exato é de R$ 10.500.000,00, (dez milhões e quinhentos mil reais) repassados pelo PSDB nacional e que constam regularmente declarados na prestação de contas eleitoral de minha candidatura
 em 2014;

Ressalto que a transparência na gestão pública é meu compromisso com o povo sul-mato- grossense, comprovado pela ultima avaliação da CGU que colocou Mato Grosso do Sul com nota 10 em transparência, sendo o Estado que mais evoluiu nesse quesito em todo o país; Apoio integralmente às investigações, e me coloco à disposição para apresentação de todo e qualquer documento ou esclarecimento que contribua com a elucidação total dos fatos;

Por fim reforço que qualquer outra alegação de fatos ilícitos envolvendo meu nome e a empresa JBS não condiz com a verdade, e será devidamente comprovado.”

Tópicos