Você está aqui

Reinaldo diz que defende 'de Pedrossian a Puccinelli' por diversificarem economia de MS

Discurso foi feito nesta segunda

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) disse nesta segunda-feira (19) fazer defesa de Mato Grosso do Sul e seus ex-governadores em referência aos incentivos fiscais, colocados sob suspeita após a delação premiada dos irmãos Wesley e Joesley Batista, da JBS.

“Faço defesa do que Mato Grosso do Sul fez. Pedrossian, Wilson, Zeca e André buscaram diversificar a nossa economia. Essas coisas estão começando a clarear”, afirmou durante evento de assinatura de ordens de serviço com recursos de emendas parlamentares e do Fundersul, um total de R$ 29 milhões para 24 municípios do Estado. 

Os três últimos governadores de Mato Grosso do Sul, Zeca do PT, André Puccinelli (PMDB) e Reinaldo Azambuja (PSDB) foram oficialmente citados nas investigações da Lava Jato. Em depoimento para o acordo de delação premiada, um dos donos da JBS, Wesley Batista, revelou suposto esquema de corrupção envolvendo pagamento de propinas em troca de isenção fiscal para a empresa.

Um dos capítulos da delação de Wesley se refere unicamente a Mato Grosso do Sul. No depoimento, prestado em 4 de maio de 2017 aos membros da Procuradoria-Geral da República Fernando Antonio Oliveira e Sergio Bruno Fernandes, Wesley revelou que funcionaria em MS um esquema de pagamento de propina em troca de redução da alíquota de ICMS (Imposto sobre Circulacao de Mercadorias e Serviços).

Tópicos