Você está aqui

Prisão de Puccinelli deve adiar convenção do PMDB em MS

Plano é que ex-governador tome posse de diretoria

Deputados estaduais do PMDB estão reunidos na presidência da Assembleia Legislativa para discutir o futuro político da cúpula, após serem informados sobre a prisão preventiva do ex-governador do Estado, André Puccinelli (PMDB). O presidente regional da sigla, Junior Mochi, informou que no final da tarde será divulgado se a convenção marcada para sábado (18) ainda ocorrerá.

No evento, ele passaria o comando do diretório para Puccinelli e a expectativa era de que fosse anunciado se o peemedebista se candidataria ao governo do Estado nas próximas eleições ou não. “Existe a possibilidade de cancelarmos o evento, mas precisa ser decisão em conjunto e com todos os representantes dos deputados presentes”, disse Renato Câmara.

À tarde nova reunião será feita com mais parlamentares do partido. Paulo Siufi (PMDB) adiantou que provavelmente haverá mudança em relação à convenção e aproveitou para dizer o quanto é amigo de Puccinelli. “É o maior personagem do partido. Confio nele, é parceiro e amigo. Entendo que tudo isso deve ser averiguado”, opinou.

Prisão

Mandados de prisão preventiva foram cumpridos devido à 5ª fase da Operação Lama Asfáltica, intitulada Papiros de Lama, deflagrada na manhã desta terça-feira (14). O filho do ex-governador, o advogado André Puccinelli Júnior, também foi preso, além de outras duas pessoas.

Os empresários João Baird e João Amorim, bem como o ex-secretário de Fazenda na gestão peemedebista, André Cance, estão na sede da Polícia Federal para prestar esclarecimentos. Houve ainda busca na concessionária Águas Guariroba que disse não saber do que se trata da investigação, porém se comprometeu em ajudar com o que for necessário.

 

Tópicos