Você está aqui

Prisão de Lula: confira a repercussão em jornais internacionais

Lula tem até essa sexta-feira (6) para se apresentar no Paraná

Depois do Tribuna Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) autorizar a execução da pena ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo caso tríplex no Guarujá, jornais pelo mundo já noticiam a prisão. Lula foi condenado em segunda instância a 12 anos e um mês de detenção.

O jornal espanhol El País trás em uma de suas notícias “Juiz ordena a entrada imediata na prisão de Lula da Silva”, referindo-se à ordenação do TRF-4.

Já o britânico The Guardian, publicou, após também noticiar a prisão do ex-presidente como “Lula enfrenta prisão por corrupção após decisão da Suprema Corte”, matéria do apoio de grande parte dos brasileiros ao petista. Notícia trás o título de “Brasileiros ainda têm muito carinho por Lula, apesar da condenação por corrupção”.

O argentino Clarín Mundo estampo em sua capa “Juiz Moro ordena prisão de Lula da Silva”, destacando os recursos esgotados do líder do PT em permanecer em liberdade.

Juiz brasileiro emite mandado de prisão contra o ex-presidente Lula”, traz manchete do francês Le Monde, contextualizando as investigações de moro contra o petista. O também francês Le Fígaro estampa “Brasil: juiz ordena encarceramento do ex-presidente Lula”.

Sem citar o nome de Moro, o americano The New York Times noticiou "Mandado de prisão emitido para o ex-presidente brasileiro Lula", contextualizando a prisão como um duro golpe ao líder que já foi popular e estava tentando montar um retorno político, ao que se referiu às eleições brasileiras que se aproximam. 

Prisão

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), com sede em Porto Alegre, encaminhou na tarde desta quinta-feira (5) à Justiça Federal no Paraná o ofício com a autorização para a execução da pena do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pelo caso do triplex do Guarujá. O político foi condenado em segunda instância a 12 anos e 1 mês de prisão.

O documento foi encaminhado um dia após o Supremo Tribunal Federal (STF) negar habeas corpus da defesa do ex-presidente. O documento prevê, ainda que o ex-presidente deve se apresentar à Polícia Federal de Curitiba até as 17 horas desta sexta-feira (6). "Relativamente ao condenado e ex-Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, concedo-lhe, em atenção à dignidade cargo que ocupou, a oportunidade de apresentar-se voluntariamente à Polícia Federal em Curitiba até as 17:00 do dia 06/04/2018, quando deverá ser cumprido o mandado de prisão", afirmou o juiz.

Em seu despacho, Moro diz que algemas não devem ser usadas em nenhuma hipótese e determina que o ex-presidente deve ficar em uma cela separada dos demais presos. "Esclareça-se que, em razão da dignidade do cargo ocupado, foi previamente preparada uma sala reservada, espécie de Sala de Estado Maior, na própria Superintência da Polícia Federal, para o início do cumprimento da pena, e na qual o ex-presidente ficará separado dos demais presos, sem qualquer risco para a integridade moral ou física”, diz o mandado de prisão.

Na decisão, Moro explicou que, embora caiba mais um recurso contra a condenação de Lula, os chamados embargos dos embargos, a medida não poderá rever os 12 anos de pena."Não cabem mais recursos com efeitos suspensivos junto ao Egrégio Tribunal Regional Federal da 4ª Região. Não houve divergência a ensejar infringentes. Hipotéticos embargos de declaração de embargos de declaração constituem apenas uma patologia protelatória e que deveria ser eliminada do mundo jurídico. De qualquer modo, embargos de declaração não alteram julgados, com o que as condenações não são passíveis de alteração na segunda instância", explicou.

Tópicos