Você está aqui

Em MS, Temer valida acordo para preservação do Pantanal

Tratado entre MS e MT foi firmado em 2016

  • Fotos: Chico Ribeiro - Ascom Governo do Estado

O acordo chamado de ‘Carta Caiman’, firmado em 2016 entre os governos de Mato Grosso do Sul e Mato Grosso foi validado neste sábado (21) pelo presidente Michel Temer (PMDB). Temer cumpre agenda em Miranda, distante 203 quilômetros de Campo Grande.

O tratado previa que os dois governos criem grupos de trabalho para discutir ações integradas para preservação do bioma, promovendo assim o desenvolvimento econômico e social da região.

Durante a cerimônia em Mato Grosso do Sul, Temer  também assinou decretos ligados ao meio ambiente, entre eles, um que prevê converter multas que estejam em esfera administrativa em ações para preservação ambiental.  Para isso, a União vai oferecer desconto de até 60% nas multas. A expectativa de arrecadação é de R$ 4,6 bilhões.

Em seu discurso, o presidente fez questão de pontuar melhorias de seu governo na área da economia. De acordo com ele, em 16 meses, seu governo fez "muito mais do que foi feito, em 12, 13, 14 anos".

O peemedebista também citou a valorização das ações da Petrobras e o crescimento do índice Bovespa e mencionou aumento do número de empregos com carteira assinada. "Precisamos juntar brasileiros com brasileiros e não brasileiros contra brasileiros, como vinha acontecendo no passado", disse.

O evento contou com a participação do governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), e de lideranças políticas locais, entre eles o deputado federal Carlos Marun (PMDB).

 

Tópicos