Você está aqui

Justiça cassa mandato, mas prefeito em MS diz que vai recorrer no cargo

Político foi condenado por abuso do poder político na eleição

Uma decisão do juiz da 33ª Zona Eleitoral cassou o mandato do prefeito e do vice-prefeito do município de Japorã, município distante 408 km da Capital, Vanderlei Bispo (PTB) e Gil Perin (PSDB), por abuso do poder econômico e político, nas eleições de 2016.

A acusação contra Bispo surgiu logo após as eleições de outubro de 2016, quando surgiram gravações, feitas sem autorização da Justiça, que motivaram pedido de cassação. O prefeito reeleito de Japorã alega que foram feitas politicamente para prejudica-lo.

A ex-secretária de assistência social do município gravou conversas que indicavam a criação de um suposto esquema que teria desviado cerca de R$ 40 mil dos cofres da Prefeitura para utilizar na campanha de Bispo.

“Isto é totalmente improcedente”, defende-se o prefeito de Japorã. Segundo ele, que nega as acusações de abuso do poder econômico e político, as gravações aconteceram antes do período eleitoral. “Temos que agradecer à Justiça, porque se não os adversários teriam comprado as eleições”, pontua Bispo, citando a apreensão de R$ 100 mil na campanha do ano passado, que seriam da coligação adversária.

Apesar da decisão pela cassação, o juiz Guilherme Henrique Berto de Almada, vinculou a realizações de novas eleições (suplementares) somente após o trânsito em julgado, ou seja, o prefeito pode recorrer junto ao TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) ainda no cargo de prefeito de Japorã.

A decisão determina, além da cassação do diploma, a inelegibilidade de Vanderlei Bispo por oito anos. O prefeito revelou que vai recorrer da sentença. 

Tópicos