Você está aqui

Em entrevista, Joesley cai em 2 contradições sobre contatos com Temer

Ele falou à época e se contradisse em relação à depoimento para a PGR

A Folha de São Paulo aponta que o empresário Joesley Batista, da JBS, teria se contradito em pelo menos dois pontos, ao compararem entrevista dada à revista Época, e ao depoimento feito à PGR (Procuradoria-Geral da República), em seu acordo de delação premiada. 

A reportagem afirma que ele indicou uma data diferente em relação ao seu primeiro contato com o presidente Michel Temer. A versão sobre seus encontros iniciais com deputado federal Rodrigo Rocha (PMDB-PR) também estaria diferente. 

A entrevista feita à Época foi divulgada neste final de semana, e nela Joesley diz que conheceu Temer através do mnistro Wagner Rossi, em 2009 ou 2010, e que de 2010 em diante eles teriam mantido contato constante. No depoimento à PGR, ele declarou que só conheceu Temer depois da eleição da ex-presidente Dilma Rousseff, quando Temer fez parte da chapa como vice-presidente, em 2011. 

Em outra contradição, ele alterou a ordem dos acontecimentos na sua relação com Rodrigo Loures, preso em Brasília por ter recebido uma mala da JBS com R$ 500 mil. No depoimento, Joesley disse que foi dele a iniciativa de procurar Loures para estabelecê-lo como novo contato dentro do Planalto. 

Já na entrevista à Época, ele disse que conhecia Loures "somente de vista" e que Temer é que teria sugerido que Loures fosse esse contato. 

Tópicos