Você está aqui

Com vídeo, empresários acusam governo de Reinaldo de cobrar propina

Denúncia foi apresentada pelo Fantástico

Na edição deste domingo (28), o Fantástico, programa da Rede Globo, finalmente revelou vídeo que agita bastidores da política sul-mato-grossense e que levou à queda do ex-secretário da Casa Civil Sérgio de Paula (PSDB). No vídeo José Ricardo Guitti, que teria sindo indicado por Sérgio De Paula, aparece supostamente recebendo propina de empresários do setor de frigoríficos em troca de benefícios.

Segundo a denúncia, o governo estaria cobrando propina em troca de licença de funcionamento. De acordo com a reportagem, o dinheiro iria para o então chefe da Casa Civil, Sérgio de Paula.

José Berger, dono de fábrica que processa couro de gado,  afirmou que teve as atividades de seu frigorífico suspensas em novembro e procurou o governador Reinaldo Azambuja para tratar sobre o assunto. Azambuja o teria encaminhado para Sérgio De Paula. Já De Paula, indicou um mensageiro, José Ricardo Guitti, conhecido como Polaco.

Berger conta que em novembro teria entregue duas R$ 250 mil a Polaco, no que após os pagamentos a licença teria sido aprovada. Berger afirma que quem receberia o dinheiro no final seria Sérgio de Paula. “Segundo o mensageiro, ele autorizou a fazer o acerto. Foi com o aval dele”, diz Berger.

Após os pagamentos, as extorsões recomeçaram e em dezembro ele decidiu gravar o vídeo. No vídeo divulgado pelo Fantástico, após entregar R$ 30 mil, Berger pergunta a Polaco se ele acha que De Paula vai ajudar e se “vai agora para a casa civil”. Neste momento Polaco diz que sim e pergunta se ele tem uma caixa de sapato.

Berger afirma que uma mensalidade no valor de R$ 150 mil reais estaria sendo cobrada pelo governo e, quando o pagamento cessou, a empresa teria sido multada novamente. “Foi multada em 7 milhões por sonegação”, declarou Berger ao Fantástico.

Já o empresário Benício Tangerino, dono de um frigorífico, teria negociou diretamente com De Paula, em seu gabinete na Governadoria. Segundo a reportagem, R$ 300 mil teriam sido entregues dentro de uma mala. Mesmo após o pagamento as extorsões teriam continuado.

O governador Reinaldo Azambuja afimou à reportagem do Fantástico que “os empresários são sonegadores” e que “comprovadamente fazem emissão de nota fria” para escapar do pagamento de impostos. Segundo o governador, o “estado identificou e cancelou incentivo” dado às empresas em gestões passadas. Azambuja disse ainda que, “quanto ao vídeo, cada um vai responder” por suas ações.

Sobre Sérgio De Paula, Reinaldo confirmou amizade, mas negou envolvimentos. “Tenho amizade antiga, pessoa que sempre trabalhou conosco. Se usou meu nome não teve autorização”, afirmou.

Em nota, De Paula negou as acusações.

Em fevereiro havia rumores da queda de De Paula ligada a denúncia, porém o vídeo acabou nunca aparecendo. O ex-secretário da Casa Civil foi exonerado em março.

* Matéria editada às 22:30 para adição de informações. 

Tópicos