Você está aqui

Desembargador que soltou Puccinelli analisa soltura dos outros 2 presos pela PF

Defesa acredita que advogados também serão soltos

A defesa dos advogados João Paulo Calves e Jodascil Gonçalves Lopes também impetrou um habeas corpus no TRF3 (Tribunal Regional Federal da 3ª Região) pedindo a liberdade dos dois, presos no âmbito da Operação Papiros de Lama, 5ª fase da Lama Asfáltica, deflagrada na última terça-feira (16). O pedido será julgado pelo desembargador federal Paulo Fontes, o mesmo que decidiu pela saída da prisão do ex-governador André Puccinelli (PMDB) e seu filho, o advogado André Puccinelli Júnior.

Calves e Lopes foram por serem sócios, ou já terem integrado o quadro societário, do Instituto Ícone, empresa suspeita de receber propina da JBS e da Águas Guariroba e repassar a Puccinelli Júnior, por meio de contratações de prestação fictícia de serviços e vendas de livros jurídicos para a concessionária de saneamento, que depois doava os exemplares.

A defesa dos advogados João Paulo e Jodascil, que também são professores do curso de direito da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), alega que seus clientes não figuram como investigados principais na Operação Lama Asfáltica.

Segundo a defesa dos dois, Puccinelli Júnior nunca foi sócio de Calves e Lopes, ele apenas teria colaborado com instituto, como coordenador científico, em alguns eventos. “Em razão de seu elevado saber jurídico e titulação acadêmica (...) por ser um destacado jurista pantaneiro”.

A expectativa é que a liberdade de Jodascil e João Paulo seja concedida ainda nesta quinta-feira (16), já que a defesa considera que a investigação, quanto ao Instituto Ícone, tenha sido ‘parcial e equivocada’. 

Tópicos