Você está aqui

Operação Malote cumpre mandados de prisão contra o tráfico em MS

Criminosos estavam sediados na paranaense Umuarama

Polícia Federal cumpre, nesta sexta-feira (28), mandados de prisão, busca e apreensão em Mato Grosso do Sul e outros quatro estados. Vinte equipes estão na fronteira entre Brasil e Paraguai.

São alvo da Operação Malote investigados nas cidades de Amambai, Aral Moreira, Coronel Sapucaia, Dourados e Ponta Porã.

Reportagem apurou, junto a forças de segurança, que vereador de Coronel Sapucaia teria sido alvo.

Grupo criminoso utilizava Mato Grosso do Sul como rota de distribuição de drogas, tendo por sede a cidade paranaense de Umuarama.

Nos cinco estados alvo da operação são cumpridos 80 mandados, sendo 40 de busca e apreensão, assim como 29 de prisão preventiva, 5 de prisão temporária e 12 conduções coercitivas. Ao menos 200 policiais estão mobilizados.

Patrimônio atribuído aos investigados foi rastreado pela Receita Federal, o que implica ainda em decisões judiciais para bloqueio, sequestro e impedimento de bens.

Investigados devem responder por crimes de corrupção ativa e passiva, além dos previstos na Lei Antidrogas e de Combate ao Crime Organizado. Agentes públicos estão sujeitos a penas superiores a 40 anos de prisão. 

Operação

Extensa rede de narcotraficantes, monitorados por dois anos pela Polícia Federal de Cascavel (PR), possibilitou apreensão de 39 toneladas de maconha e 160 quilos de cocaína. 

Grupo agia de forma consorciada, conforme nota, para reduzir riscos do transporte ilegal e utilizava aplicativo de mensagens WhatsApp em suas comunicações.

Sem cumprimento de ordens judiciais para monitoramento do grupo, expedidas pela Justiça Federal de Umuarama, a  plataforma acumulou multas de R$ 2,1 bilhões.

Durante as investigações, 21 pessoas foram presas e 16 carregamentos interceptados, incluindo apreensão de 24,5 toneladas na paranaense Porto Carmago.

 

Tópicos