Você está aqui

Líderes de rebelião em Manaus chegam à Capital e vão para o Presídio Federal

Chegaram em avião da Polícia Federal

  • (Leitor / WhatsApp)
  • (Leitor / WhatsApp)

Avião da Polícia Federal ocupado por líderes da rebelião  que resultou na morte de  56 internos do Compaj (Complexo Penitenciário Anísio Jobim), em Manaus, pousou no fim da tarde desta quarta-feira (11) no aeroporto internacional de Campo Grande. Os presos seguem para o presídio federal de Campo Grande. 

Imagem a que o Jornal MIdiamax teve acesso mostra o avião da PF parado na pista do aeroporto. Ao lado, é possível ver uma viatura e alguns policiais.

O Depen (Departamento Penitenciário Nacional), órgão responsável pela realocação dos presos, não divulgou a quantidade nem identidade dos presos trazidos.  De acordo com a assessoria de imprensa, o Departamento só irá se pronunciar quando as transferências forem concluídas.

Na noite de segunda-feira (2), o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, disse em entrevista coletiva, em Manaus, que os líderes do ataque no Compaj seriam transferidos para presídios federais assim que forem identificados. Mato Grosso do Sul conta com uma unidade federal.

Rebelião

No domingo (1º), uma rebelião que, segundo o governo do Amazonas, é resultado de uma guerra entre as facções Família do Norte e PCC (Primeiro Comando da Capital) por disputa por espaço no tráfico de entorpecentes no Estado, terminou com a morte de 56 presos e fuga de outros 184, dos quais, 136 ainda estariam foragidos. Uma segunda rebelião terminou com a morte de outros quatro presos, totalizando 60 mortes. O massacre é o maior em um presídio brasileiro desde o ocorrido no Carandiru.

Tópicos