Você está aqui

Líder religioso e discípulo são preso suspeito de estuprar crianças e adolescentes

Pelo menos 5 vítimas foram confirmadas pela polícia

Um líder religioso de 28 anos e um discípulo dele, de 21 anos, ambos membros de uma das maiores comunidades evangélicas de Coxim, foram presos nesta sexta-feira (23) acusados de estupro contra pelo menos cinco crianças e adolescentes no município, distante 259 quilômetros de Campo Grande. Para convencer as vítimas, eles diziam que os atos seriam para "purificação" e ameaçavam que se contassem aos familiares, sofreriam "maldições", como acidentes, por exemplo.  

O discípulo foi preso durante a tarde, no bairro Vila Bela, em uma ação conjunta entre investigadores da 1ª Delegacia de Polícia Civil e da DAM (Delegacia de Atendimento a Mulher), segundo informações apuradas pelo jornal local Edição MS. Já o líder da igreja, que é biólogo, foi preso pela Polícia Civil em São Borges, no Rio Grande do Sul. Ambos tiveram a prisão temporária decretada pela Comarca de Coxim.

De acordo com a delegada responsável pelas investigações, Sandra Regina Simão de Brito, na última segunda-feira (19), uma mulher procurou a delegacia para denunciar a dupla que supostamente estava abusando de seus quatro filhos, um jovem de 18 anos, uma menina de 5 anos, e outros dois meninos de 3 e 1 ano.

Ela explicou à polícia, que há algum tempo, o líder e o discípulo alegaram que não tinham onde morar e pediram abrigo em sua residência. Por serem membros da igreja, a mulher disse que não tinha suspeitas e deixou que eles morassem na sua casa. A suspeita só aconteceu no último domingo (18), quando o filho mais velho relatou que não aguentava mais apanhar da dupla.

Conforme os relatos do jovem, os abusos já duram pelo menos três anos e tiveram início ante mesmo deles morarem na casa. Depois da mudança, os abusos se tornaram mais constantes, conforme o relato do rapaz. Ao ouvir o relato do filho, a mãe exigiu que os membros da igreja deixassem a casa.

Diante das afirmações, ele e os irmãos foram submetidos a exame de corpo de delito e os laudos comprovaram que os quatro irmãos foram abusados sexualmente. Ainda segundo a delegada, durante as investigações, a mãe de um adolescente de 15 anos, que também frequenta a igreja e era membro da mesma célula de meninos comandada pelo líder e o discípulo, denunciou que eles teriam obrigado seu filho a praticar atos obscenos com a dupla.

De acordo com as denúncias, para convencer as crianças os suspeitos diziam que estavam apenas purificando-as e que se contassem aos pais elas próprias e a família sofreriam maldições, como acidentes por exemplo. Ainda de acordo com o site local, o discípulo foi levado para a 1ª Delegacia Polícia, onde  prestou depoimento. Em seguida, será levado para o Estabelecimento Penal Masculino de Coxim.

Já o líder, que havia fugido para sua cidade natal no Rio Grande do Sul, na última terça-feira (22) será transferido para Coxim, onde também deve prestar depoimento. 

A polícia suspeita da existência de outras vítimas. A delegada pede que as mães das crianças que participavam da mesma célula da dupla conversem com seus filhos e que outras possíveis vítimas procurem a delegacia para registrar boletim de ocorrência. 

(Imagem:Ângela Bezerra/ Edição MS)

Tópicos