Você está aqui

Juiz diz que morte de adolescente em agressão com mangueira é homicídio

Homicídio doloso, quando há intenção de matar

O juiz Marcelo Ivo de Oliveira, da 7ª Vara Criminal de Campo Grande, entendeu que a morte do adolescente Wesner Moreira da Silva, de 17 anos, após uma agressão com mangueira de alta pressão, se trata de homicídio doloso, quando há intenção de matar.

O caso em que Tiago Demarco Sena, de 20 anos, e Willian Larrea, de 31 anos, são acusados, será encaminhado a umas das varas do Tribunal do Júri da Capital, que julgam os casos de homicídio doloso.  O juiz não concorda que o caso seja tratado como lesão corporal de natureza grave. 

O pedido de prisão preventiva de Tiago e Willian foi encaminhado à 7ª Vara Criminal, em que o magistrado atua como titular.  “Além do ato praticado pelos indiciados ser revestido de uma imbecilidade oceânica, não há como alegarem que o ato por eles praticado não poderia causar a morte de uma pessoa”, explica no despacho.

“Assim, quando alguém direciona uma mangueira de ar comprimido contra o corpo de outrem, pode até dizer que não se está tentando matar o outro, mas qualquer pessoa minimamente sana sabe que injetar uma mangueira de ar comprimido em alguém, provavelmente causará a sua morte ou, ao menos, sérias lesões”, acrescenta.

Desse modo, entendeu o juiz que o caso se trata de homicídio com dolo eventual, pois os indiciados assumiram o risco de causar a morte de alguém, o que de fato acabou acontecendo. Pelo exposto, o magistrado declinou a competência para uma das varas do tribunal do júri, que deve apreciar o pedido de prisão preventiva dos envolvidos. 
Investigação

Na manhã desta quarta-feira (15), um dia após a morte de Wesner o delegado Paulo Sérgio Lauretto, responsável pela investigação do caso, deu detalhes sobre os próximos passos da investigação. Ele afirmou que ainda não está definido se o caso será tratado como lesão corporal seguida de morte ou homicídio doloso – quando há intenção de matar.

Em coletiva concedida na Depca (Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente), o delegado esclareceu que o pedido de prisão preventiva para os agressores Tiago Demarco Sena, de 20 anos, e Willian Larrea, de 31 anos, foi feito por volta das 12 horas de terça-feira. Uma hora depois de o delegado contatar o judiciário, Wesner morreu na Santa Casa.

 

Tópicos