Você está aqui

Após foto, jornalista é preso suspeito de ligação com PCC

Suspeito alega não conhecer as pessoas da foto, mas que são clientes de sua irmã

​Um jornalista da fronteira com Mato Grosso do Sul, identificado como Sandro Saúl Sánchez, foi preso suspeito de ligação com o PCC (Primeiro Comando da Capital). Sem passagens pela polícia, o suspeito teria aparecido em uma fotografia com integrantes do  grupo criminoso, que ele afirma não conhecer.

Conforme o ABC Collor, Sánchez foi preso em Villarrica, depois de tentar fugir da abordagem. O jornalista alegou que as pessoas da foto são clientes do consultório dentário de sua irmã. "Infelizmente, há alguns meses eu tive uma foto de mim mesmo com pessoas que não conheço em um complexo que minha mãe tem", explicou.

Ele disse que, no momento da sua prisão, tentou correr, pois não sabia se que eram policiais. "Uma foto simples está arruinando minha vida. Deixei meus filhos abandonados no apartamento. Sou viúvo, eu sou pai e mãe ", disse ele.

Durante a prisão, o jornalista diz temer por sua vida depois de ter sido exposto como membro do PCC em meio à guerra entre facções.

Venda de um carro

A polícia fez buscas na casa de Sandro Saúl Sánchez, mas não foi encontrada nenhuma evidência relevante que pudesse ligar o jornalista à facção criminosa.

Porém, o promotor Ulises Giménez, que liderou a operação, disse que a suspeita é de que o jornalista estaria envolvido na venda de um carro para membros da organização criminosa.

Sánchez será levado ao Ministério Público de Pedro Juan Caballero e o caso será investigado pelo procurador Armando Cantero.

Tópicos