Você está aqui

'Vizinhos do PCC': casa onde jovem foi executado e esquartejado é incendiada

Imóvel teve um dos cômodos atingido

  • Imóvel onde execução e esquartejamento ocorreu foi incendiado neste domingo (20) (Foto - Diego Alves/Midiamax)
  • Cadeira onde execução ocorreu continua no imóvel (Foto - Diego Alves/Midiamax)
  • Somente um cômodo foi atingido pelas chamas (Foto - Diego Alves/Midiamax)
  • Banheiro onde jovem foi morto não foi atingido pelo fogo Foto - Diego Alves/Midiamax)

O local onde Fernando Nascimento dos Santos, de 22, que foi morto e esquartejado por membros do PCC (Primeiro Comando da Capital) na quarta-feira (16), foi incendiado na tarde deste domingo (20), por volta das 13h. O imóvel, localizado na Rua Augusta Rossini Guidi, no bairro Morada do Sol, tem seis cômodos e apenas um deles foi incendiado. O Corpo de Boimbeiros foi acionado e conseguiu conter as chamas.

No local há roupas espalhadas pelo chão e bastantes latas amassadas, o que indica que no imóvel ocorria consumo de drogas. A cadeira onde a execução de Fernando ocorreu ainda está na casa, aparentemente intacta. De acordo com populares, os suspeitos do esquartejamento, que foram presos na noite do sábado (19), estavam no local há cerca de um mês. A casa era conhecida nas imediações por ser ponto de venda de drogas.

O corpo de Fernando Nascimento dos Santos foi encontrado esquartejado em estrada vicinal (Foto - Reprodução)

.

O crime brutal ganhou os holofotes quando o corpo da vítima foi localizado decapitado e desmembrado em uma estrada vicinal que que liga a Rua Engenheiro Paulo Frontim ao Macroanel, no bairro Los Angeles, na ultima quarta-feira (16) e teria sido motivado por guerra entre facções.

No dia seguinte, vídeos começaram a circular em comunicadores como o WhatsApp. O primeiro deles trazia a vítima, que seria integrante do CV (Comando Vermelho) ainda viva, pedindo desculpas à facção rival, o PCC (Primeiro Comando da Capital). O segundo, traz Fernando sendo decapitado por um homem encapuzado.

Prisões

Suspeitos foram apresentados em coletiva de imprensa neste domingo (20)  (Foto - Henrique Kawaminami)

.

Três suspeitos de terem feito a execução e esquartejamento de Fernando Nascimento dos Santos, de 22 anos, foram presos neste domingo (20) após uma força tarefa, que mobilizou até policiais de folga, reuniu agentes do GOI (Grupo de Operações e Investigações da Polícia Civil), Depac (Delegacia de pronto Atendimento Comunitário) - Piratininga e 5ª Delegacia de Polícia Civil.

Apresentados numa coletiva de imprensa por volta das 10h, os suspeitos foram identificados como Uesley de Oliveira Rodrigues, de 22 anos, conhecido por 'Mascote' ou 'De menor'; Danilo Richeli da Silva Fernandes, de 18 anos, conhecido por 'Mil Grau'; e Wellington Ferreira de Souza, 24 anos, conhecido como 'Dedinho'. O trio nega ter agido a mando da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) e afirma que Fernando foi morto, apenas, porque era do Comando Vermelho, segunda maior organização criminosa do país.

Eles também afirmaram que a execução filmada seria como um prêmio e que garantiria que chegassem ao presídio já com ‘status’ dentro da organização. Em depoimento, eles afirmaram que antes de ser morto, Fernando ficou amarrado por um dia, enquanto Danilo entrava em contato com líderes da facção PCC, na qual ele se diz batizado. O aval para a execução chegou na madrugada de quarta.

Tópicos