Você está aqui

Autor do 'Crime da Mala' em 1998 é preso por exploração sexual

Há 19 anos, ele matou a mãe, ateou fogo no corpo e colocou em uma mala

Márcio Akira Kajiwara, de 53 anos, foi preso pela Polícia Civil de Aquidauana, a 143 km de Campo Grande, por tráfico de drogas e exploração sexual de vulnerável. O suspeito ficou conhecido, no ano de 1998, após confessar ter matado, queimado e colocado em uma mala a mãe adotiva, a aposentada Maria José Kajiwara, 66. O crime ficou conhecido por "Crime da Mala". 

A prisão ocorreu, na última sexta-feira (17). Segundo a Polícia Civil, para praticar o abuso sexual, o suspeito oferecia dinheiro e drogas aos adolescentes.

As abordagens do suspeito ocorria por meios das redes sociais ou pessoalmente. O suspeito trabalhava vendendo picolé pelas ruas de Aquidauana, o que facilitava suas abordagens aos adolescentes.

A prisão foi intermediada pelo Núcleo de Inteligência Investigações e Capturas NIIC, da 1ª delegacia de Polícia Civil do município. Ele teve a prisão temporária decretada por 30 dias e segue à disposição da Justiça.

OUTROS CRIMES

O suspeito já cumpriu pena na cidade de Campo Grande, por haver matado, queimando e colocado o corpo de sua mãe dentro de uma mala, como também, cumpriu pena no presídio federal pelo crime de tráfico de drogas.

O ano de 1998 foi sombrio em Campo Grande, quando o músico confessou ter matado, queimado e colocado numa mala a mãe adotiva, a aposentada Maria José Kajiwara, 66.

Ela foi assassinada com um golpe de martelo, queimada e colocada em uma mala, jogada em um terreno baldio. O crime chocou a Capital pelo seu teor torpe: Márcio afirmou, à época, ter cometido o crime por discordar da mãe sobre o aluguel de uma casa.

 

Tópicos