Você está aqui

Presidente do Palmeiras homenageia ex-jogador: maior que Pelé e Maradona juntos

Evair foi homenageado no Allianz Parque

O ex-atacante Evair recebeu uma placa do Palmeiras na tarde deste sábado, em homenagem ao seu aniversário de 50 anos, que foi comemorado no dia 21 deste mês de fevereiro. Ao falar ao lado do ídolo alviverde, na sala de imprensa do Allianz Parque, o presidente Paulo Nobre assumiu seu lado torcedor para exaltar o ex-atleta.

"Particularmente, para o torcedor Paulo de Almeida Nobre, é o maior ídolo da minha vida. Sempre digo que é besteira discutir quem foi o maior de todos os tempos, se foi Pelé ou Maradona. Na minha opinião de torcedor, se juntar os dois não dá meio Evair. Torcedor tem sempre razão e este é meu sentimento", afirmou o dirigente.

Evair, que teve duas passagens vitoriosas pelo Palmeiras (entre 1991 e 1994 e também em 1999), agradeceu a homenagem realizada pelo clube momentos antes da partida contra o Capivariano, pelo Campeonato Paulista.

"Foi uma honra vestir esta camisa. Todos sabem da minha alegria e do meu prazer de ter jogado aqui. É uma honra ser reconhecido aqui, sendo lembrado pelos meus 50 anos. Muito obrigado ao Palmeiras, que é a extensão de minha casa. Quando saio na rua e vem um palmeirense ou até uma pessoa que torceu contra falar que sou o Evair do Palmeiras, eu sinto um orgulho", declarou.

Em 245 jogos pelo clube, Evair marcou 127 gols, conquistando o Campeonato Paulista em 1993 e 1994, o Torneio Rio-São Paulo em 1993, o Campeonato Brasileiro em 1993 e 1994 e a Copa Libertadores em 1999. O ex-jogador, porém, lamenta com bom humor por não poder jogar no novo estádio.

"Desde a primeira vez em que pisei aqui, dá vontade de voltar a jogar. Infelizmente, meu tempo passou e fico só nos jogos de festa, mas este estádio realmente vale a pena", declarou.

Paulo Nobre ainda reforçou a iniciativa de homenagear ex-jogadores que passaram pelo time. “É muito importante para a grandiosidade do Palmeiras reconhecer seus ídolos. Um time que não tem história e raízes jamais será considerado grande", declarou o presidente, que destacou o desempenho do ídolo na vitória sobre o Corinthians na decisão do Paulista de 1993.

Tópicos