Midiamax
BUSCA: 
 Capa

 Últimas Notícias

 Pimenta no Reino

 Transparência

 Política

 Polícia

 Emprego

 Tecnologia

 Esportes

 Geral

 Mundo

 Brasil

 Agronegócio

 Economia

 Cultura

 Cinema

 Entretenimento
Articulistas



Blogs
 Fernando Soares
Mais Lidas
01 Homem é executado após ter caminhonete Toyota Hilux tomada por ladrões em MS

02 Servidor é preso em MS acusado de aliciar e incentivar prostituição de adolescentes

03 Quebra-pau: briga generalizada envolve mais de 60 pessoas em evento sertanejo e fere dois

04 Calor e tempo seco provocam vendavais em MS e meteorologista alerta: vem mais

05 Polícia encontra mais de meia tonelada de cocaína em carro capotado na BR-262

Espaço do Leitor
Espaço do leitor
Acesso Fácil
Faça da Midiamax sua página inicial

25/03/2014 13:20

Modelo e ex-miss em MS é presa na fronteira com carregamento de armas e munição

Aumentar texto Diminuir texto

Arlindo Florentino


A modelo e ex-miss da cidade de Amambai, Micheli Martins de Oliveira, de 31 anos de idade, foi presa na tarde do último domingo (23) pela Polícia Federal transportando armas e munições.

A mulher foi representante brasileira na categoria oficial do 'Miss World Cities' em 2011, e começou a carreira de desfiles em Amambai, no concurso de Miss Amambai, em 2007.

A prisão e o flagrante aconteceram durante uma operação de rotina da Polícia Federal de Ponta Porã, na rodovia entre Amambai e Caarapó.

Na abordagem do Fiat Idea, com placas de Iguatemi, Michele teria demonstrado muito nervosismo e disse que estava indo para  Dourados. No entanto, durante a vistoria na bagagem foi encontrado um mapa que indicava como destino final a cidade do Rio de Janeiro.

Em revista no carro, os policiais foram surpreendidos pois encontraram na parte dianteira do carro vários pacotes contendo 5 mil munições calibre 9 milímetros, 100 munições do calibre 7.62, uma pistola 9 milímetros da marca Glock, carregadores para fuzil e Ak 47, munição do calibre .30 e um fuzil do mesmo calibre, com capacidade para perfurar blindados.

A suspeita é de que ela tenha adquirido o material no Paraguai e estaria levando para ser entregue a algum grupo do crime organizado no Rio de Janeiro.



Comentários (1)

25/03/2014 21:24
Elcio Muniz
Salve as araras!!

09h47
Diretor-presidente da Agepen garante que superlotação não foi motivo de rebelião
09h24
Ex-marido mata mulher esfaqueada na Aldeia Porto Lindo em Japorã
08h48
Bisavó de criança de 2 anos morre de ataque cardíaco fulminante
Entrevista
Diretor do CRA fala da importância do profissional administrador na gestão pública
Charge do dia
Charge