Midiamax
BUSCA: 
 Capa

 Últimas Notícias

 Pimenta no Reino

 Transparência

 Política

 Polícia

 Emprego

 Tecnologia

 Esportes

 Geral

 Mundo

 Brasil

 Agronegócio

 Economia

 Cultura

 Cinema

 Entretenimento
Articulistas



Blogs
 Fernando Soares
Mais Lidas
01 DATAmax: diferença entre Reinaldo e Delcídio é de 8,58 pontos; indecisos são 3,58%

02 Campanha esquenta e ex-vice-prefeito troca socos e xingamentos com vereador

03 Advogado criminalista é assassinado com oito tiros neste sábado em Dourados

04 Após briga em família, menina de 12 anos revela que tio a estupra e avô faz denúncia

05 Mãe faz o parto de filha adolescente dentro de carro na Avenida Afonso Pena

Espaço do Leitor
Espaço do leitor
Acesso Fácil
Faça da Midiamax sua página inicial

14/02/2014 11:41

Suspeito de ter matado segurança do Afroreggae é preso no Rio

Aumentar texto Diminuir texto

Uol/GA

Policiais da Divisão de Homicídios da Baixada Fluminense prenderam, na manhã desta sexta-feira (14), Aníbal João Valente Júnior, suspeito de ter matado a tiros o cabo do Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) Sérgio Simão Dias, no último domingo (2), em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense. O cabo fazia a segurança do coordenador do grupo Afroreggae, José Júnior.

A polícia informou que Aníbal estava escondido em um hotel, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro. Contra ele foi cumprido um mandado de prisão temporária pelo crime de homicídio, expedido pela Justiça. O delegado Pedro Medina, titular da DH, afirmou que as investigações estão em andamento para localizar e prender outros dois envolvidos no crime, que já foram identificados.

"É com o maior orgulho do mundo que venho comunicar que o assassino do Simão acabou de ser preso - Anibal João Valente Jr - Binha. Graças a Deus e ao empenho da Delegacia de Homicídios da Baixada Fluminense da Polícia Civil. Que o nosso irmão descanse em paz", disse Júnior no Instagram.

No dia da morte do policial, Júnior havia escrito uma mensagem em que lamentava o ocorrido. O cabo foi socorrido no Hospital da Posse, em Nova Iguaçu, mas não resistiu aos ferimentos. Ele tinha um filho e estava na Polícia Militar há nove anos, sendo quatro no Bope.

"Um dos policiais que cuidam da minha segurança no seu dia de folga foi confundido como bandido e tomou vários tiros de um segurança de um posto de gasolina. Tristeza Gigantesca! Hoje esses policiais são como integrantes do AfroReggae e da minha própria família", postou José Júnior no Facebook.



Comentários (0)

 
Deixar comentário
17h57
Governo pede que PF investigue boatos eleitorais sobre o Bolsa Família
17h26
Mais de 1,4 mil militares do Exército reforçam segurança das eleições no RN
17h16
Igreja Universal é lacrada por indício de propaganda irregular no Rio
Artigo do dia
Aristóteles Drummond
Escolha Radical
Entrevista
Diretor do CRA fala da importância do profissional administrador na gestão pública
Loteria
Ninguém acerta, Mega-Sena acumula e pode pagar R$ 60 milhões