Midiamax
BUSCA: 
 Capa

 Últimas Notícias

 Pimenta no Reino

 Transparência

 Política

 Polícia

 Emprego

 Tecnologia

 Esportes

 Geral

 Mundo

 Brasil

 Agronegócio

 Economia

 Cultura

 Cinema

 Entretenimento
Articulistas



Blogs
 Fernando Soares
Mais Lidas
01 Criança de 2 anos morre a tiro durante briga por 'fofoca' em bairro de Campo Grande

02 Com decreto de ponto facultativo, servidor ganha ‘feriadão’ na próxima semana

03 Servidores suspeitam que diretor de finanças do IMTI nomeado por Olarte seja ligado à PSG

04 Ventos fortes de 59 km/h destelham casas e assustam população no interior do Estado

05 Morte de presidiária é estopim para rebelião no Irmã Irma Zorzi

Espaço do Leitor
Espaço do leitor
Acesso Fácil
Faça da Midiamax sua página inicial

31/01/2014 18:05

Seis envolvidos na morte de policial civil em Campo Grande têm prisão decretada

Aumentar texto Diminuir texto

Diego Alves

Foi decretada na tarde desta sexta-feira (31), a prisão de seis envolvidos na morte do policial civil Dirceu Rodrigues dos Santos, morto a tiros na noite da última terça-feira (28), na região do Jardim Campo Nobre em Campo Grande.

A prisão preventiva foi expedido pelo juiz titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri de Campo Grande, Carlos Alberto Garcete. Todos estavam presos temporariamente desde o último dia 29.

De acordo com o auto de prisão em flagrante, Alexandre Gonçalves Rocha, 19, e Alexsandro Gonçalves Rocha de 21 anos, teriam efetuado disparos de arma de fogo contra o policial além de agredir o outro investigador Osmar Ferreira.

Mais quatro pessoas são acusadas de envolvimento na morte do policial, sendo Geovani de Oliveira Andrade, 18, suspeito de receptação e de porte ilegal de arma de fogo, Renato Ferreira Alves, 21, e Cleber Ferreira Alves, 36, suspeitos de porte ilegal de arma de fogo e Lúcia Helena Barbosa Gonçalves, 50, acusada do crime de receptação.

Crime

Dirceu Rodrigues dos Santos, de 38 anos, foi morto quando checava uma informação sobre o assalto de uma joia de R$ 80 mil, roubada no centro de Campo Grande. O investigador Osmar Ferreira, de 39 anos, também estava na ação e foi ferido.

Os policiais estavam no bairro Campo Nobre quando abordaram um jovem, que indicou a casa do travesti Alecssandro Gonçalves Rocha, de 21 anos, que teria realizado o roubo de uma joia avaliada em R$ 80 mil no centro de Campo Grande no último dia 7 de janeiro.

Os policiais trabalhavam para encontrar o artigo de luxo, roubado em um semáforo. Alecssandro com uma faca  teria feito a abordagem de uma pessoa que estava dentro do carro e exigido a joia .

Na noite do crime, os dois foram ao endereço onde estavam os suspeitos. Osmar desceu do carro descaracterizado, um Palio, sem estar armado. Ele foi convidado a entrar na casa quando foi reconhecido como policial.

O grupo passou a agredi-lo. Osmar ficou desacordado por  30 minutos após as agressões. Depois, eles foram para fora da casa e abordaram o policial Dirceu no carro. O grupo cercou o carro e exigiu que ele liberasse o jovem detido. Ao descer Dirceu foi atingido na barriga por um tiro de revólver de um dos envolvidos.

O policial ainda tentou fugir, mas sofreu outros dois disparos, realizados com a própria arma. A polícia deteve 15 pessoas e realizou sete autuações em flagrante.

Notícias relacionadas

12/02/2014
20h33 Policial civil de MS foi executado pelas costas em cidade paraguaia


Comentários (0)

 
Deixar comentário
19h09
Rapaz é preso ao tentar furtar Saveiro em Campo Grande
18h58
Passageiro de 50 anos é detido após ‘dar trabalho’ e não descer de ônibus em MS
18h49
Advogada afirma que servidor sofreu abuso quando criança e nega acusações
Entrevista
Diretor do CRA fala da importância do profissional administrador na gestão pública
Charge do dia
Charge