Midiamax
BUSCA: 
 Capa

 Últimas Notícias

 Pimenta no Reino

 Transparência

 Política

 Polícia

 Emprego

 Tecnologia

 MidiaMAIS

 Esportes

 Geral

 Mundo

 Brasil

 Agronegócio

 Economia

 Cultura

 Cinema

 Entretenimento
Articulistas



Blogs
 Fernando Soares
Mais Lidas
01 Contido pelos bombeiros, marido é suspeito de atear fogo na casa da mulher no José Abraão

02 Em dia de fúria, homem briga com a família, bate e ameaça PMs de morte em Campo Grande

03 Taxista passa 3 horas nas mãos de ladrões que ‘rodaram’ a Capital em busca de drogas

04 Ladrão é preso em flagrante por populares na Capital ao tirar soneca na casa da vítima

05 Homem morre ao colidir em carreta e com impacto carro parte em três partes na BR-163

Espaço do Leitor
Espaço do leitor
Acesso Fácil
Faça da Midiamax sua página inicial

17/12/2013 09:48

CCR vence leilão e duplicará BR-163 em Mato Grosso do Sul com pedágio de R$ 4,38

Aumentar texto Diminuir texto

Pedro Heiderich


A CCR (Companhia de Participações em Concessões) venceu na manhã desta terça-feira (17) o leilão da BR-163, rodovia de Mato Grosso do Sul. O leilão aconteceu na BM&F Bovespa, em São Paulo. Seis grupos disputaram a privatização da rodovia: Odebrecht, Triunfo, Invepar, CCR, Ecorodovias e Queiroz Galvão.

Com oferta de R$ 0,04381, que equivale a deságio (desconto) de 52,74%, a CCR foi a vencedora. O valor da tarifa básica de pedágio do leilão de hoje não poderia exceder R$ 0,09270 por quilômetro. Venceria quem oferecesse o maior deságio em relação a esse teto. O pedágio deverá custar R$ 4,38 a cada 100 quilômetros.

Os lances do Ecorodovias e Queiroz Galvão foram os segundo e terceiro melhores, de R$ 0,05175 e R$ 0,05459, respectivamente, o que representa deságio de 44,17% e 41,11%.

Já a Odebrecht, que era vista como favorita por ter vencido o outro trecho da BR-163, em Mato Grosso, no mês passado, ofereceu lance de R$ 0,08482, deságio de 8,50%, bem abaixo dos 52% ofertados pelo trecho em Mato Grosso. O lance da Triunfo foi o que teve o menor deságio, de 2,99%, o que corresponde a R$ 0,08992 por quilômetro.

Com contrato de trinta anos, o edital prevê a execução dos serviços de duplicação, recuperação, manutenção, conservação, operação, implantação de melhorias e ampliação da capacidade de 847,2 km da rodovia.

Agora, a CCR terá que duplicar 806 quilômetros nos cinco primeiros anos de concessão. Nesse período, o investimento calculado pelo governo é de R$ 3,4 bilhões e chegará a R$ 6,4 bilhões. Pela regra do leilão, a cobrança do pedágio, em toda a extensão da rodovia, só pode começar depois de concluídos 10% das obras de duplicação (80,6 quilômetros). (Com informações do Portal MSN)

Divulgação

Notícias relacionadas

17/12/2013
11h30 Atravessar MS pela BR-163 custará R$ 37,10; Confira locais e preços dos pedágios


Comentários (1)

17/12/2013 11:46
Francisco Lima
Se é para conduzir o veículo de forma mais segura é interessante pagar o pedágio, desde que as obras sejam realizadas o mais rápido possível para que o negócio seja viável para a população. Deveria ser exigido mais que 10% para começar a cobrar, pois esse teto da margem para que a vencedora não invista de imediato na duplificação da BR.

13h15
Criança de 3 anos é atropelada por carro em alta velocidade em MS
13h01
Quatro pessoas ficam feridas em colisão entre caminhonete e carro na MS-473
12h28
Motociclista morre ao errar entrada do trevo em cidade do interior de MS