Midiamax
BUSCA: 
 Capa

 Últimas Notícias

 Pimenta no Reino

 Bastidores

 Transparência

 Política

 Polícia

 Emprego

 Tecnologia

 Esportes

 Geral

 Mundo

 Brasil

 Agronegócio

 Economia

 Cultura

 Cinema

 Entretenimento
Articulistas






Espaço do Leitor
Espaço do leitor
Blogs
 Alex Fraga

 Ana Cavalheiro

 Cozinha de Raízes

 Eugênia Amaral

 Falo Blogo Escrevo

 Festas e Eventos

 João Campos Online

 Papo de Pregão
 Fernando Soares
Mais Lidas
01 Acidente entre veículo e carreta na saída para Três Lagoas mata presidente da MS-Gás

02 Primo do goleiro Bruno revela local onde corpo de Eliza Samúdio estaria enterrado

03 Aquaplanagem teria provocado acidente com morte na saída para Três Lagoas

04 Segurança é alvejado a tiros durante assalto a conveniência na Mata do Jacinto

05 Candidato desiste de eleição, diz que está sem dinheiro e que PMDB 'não fecha'

Acesso Fácil
Faça da Midiamax sua página inicial

02/10/2013 09:06

Governo adia leilão de quatro rodovias para 2014, BR 163 em MS será leiloada ainda este ano

Aumentar texto Diminuir texto

Gerciane Alves com informações MSN Brasil

Mesmo com o adiamento do leilão de quatro lotes de rodovias que fazem parte do Programa de Investimentos em Logística (PIL) para 2014, é mantido para ainda este ano o leilão do trecho da BR 163 que passa por Mato Grosso do Sul.

Segundo ministro dos Transportes, Cesar Borges, além da BR 163 (MS) três trechos serão leiloados neste ano: BR-163 (MT), BR-040 (MG-DF-GO) e BR-060/153/262 (MG-DF-GO). Esses trechos serão concedidos para a iniciativa privada.

O ministro afirmou nesta terça-feira (01), que o governo vai adiar para 2014 o leilão de quatro lotes de rodovias. São eles: BR-101 (BA), BR-116 (MG), BR 153 (GO/TO) e BR 262 (ES-MG). Os estudos desses lotes sofrerão ajustes e poderão ser alterados.

De acordo com Borges, o governo estuda uma modelagem com subvenção para as tarifas de pedágio ou ainda Parceria Público-Privada (PPP). O governo também não descarta fazer os trechos via obra pública. Segundo o ministro, a preocupação do governo com esses quatro trechos é com a modicidade tarifária.

"Queremos que o processo seja atrativo para o setor privado e para o usuário. Faremos tudo para (o leilão) não dê deserto, que o processo tenha êxito", afirmou o ministro. "Tentaremos fazer concessão. Se for necessário, faremos PPP. Se não for possível nenhuma coisa nem outra, vamos fazer obra pública."

Lançado em agosto de 2012, o programa tinha nove lotes de estradas. Dois trechos foram a leilão em setembro, mas um (BR-262 MG/ES) não teve interessados. O outro (BR-050 MG/GO) corre risco de ser judicializado, pois o segundo colocado, a Triunfo, já questionou administrativamente o vencedor, o consórcio Planalto.

Sobre a BR-050, Borges admitiu que há risco de que o consórcio que ficou em segundo lugar entre na Justiça questionando o processo. "Não queremos que a BR-050 seja judicializada, mas é possível que aconteça", afirmou. O ministro negou que o governo tenha cometido falha ao auditar o consórcio vencedor.



Comentários (0)

 
Deixar comentário
22h58
Aeronaves públicas podem ficar isentas de tarifas aeroportuárias
22h33
Bolsa Família é exemplo de política em que todos ganham, diz estudo da ONU
21h55
Em campanha, Dilma defende novo ciclo de desenvolvimento para o país
Artigo do dia
Aristóteles Drummond
Coordenador Confiável
Entrevista
“Queremos fomentar o comércio e ajudar as associações a conquistar espaço”, diz presidente da Faems
Loteria
Mega-Sena saiu para uma única aposta