Midiamax
BUSCA: 
 Capa

 Últimas Notícias

 Pimenta no Reino

 Bastidores

 Transparência

 Política

 Polícia

 Emprego

 Tecnologia

 Esportes

 Geral

 Mundo

 Brasil

 Agronegócio

 Economia

 Cultura

 Cinema

 Entretenimento
Articulistas






Espaço do Leitor
Espaço do leitor
Blogs
 Alex Fraga

 Ana Cavalheiro

 Cozinha de Raízes

 Eugênia Amaral

 Falo Blogo Escrevo

 Festas e Eventos

 João Campos Online

 Papo de Pregão
 Fernando Soares
Mais Lidas
01 Pneu estoura e passageiro morre após carro capotar em rodovia de Mato Grosso do Sul

02 Secretário estadual nega uso indevido de carro oficial que 'sumiu' da frente da casa dele

03 Bebê é internado com traumatismo e avó diz que acertou neto ao tentar espantar um gato

04 Jovem de Nova Alvorada do Sul garante que emagreceu 90 Kg em 6 meses com 'ajuda de melancia'

05 Criança é arremessada para fora de carro em capotamento com 4 vítimas na MS-040

Acesso Fácil
Faça da Midiamax sua página inicial

10/09/2013 12:48

Júri absolve em Campo Grande homem que atirou na mulher por ser chamado de 'corno'

Aumentar texto Diminuir texto

Nealla Machado


Divulgação

Foi absolvido nesta terça-feira (10) Marcio Leão Cavalcante, de 30 anos, acusado de tentar assassinar com quatro tiros a ex-companheira Patrícia de Oliveira Guimarães, de 31 anos. O julgamento aconteceu no período da manhã e o júri escolheu com quatro votos a um pela absolvição do acusado.

De acordo com o advogado de defesa, José Roberto da Rosa, foi um julgamento simples no qual a tese de absolvição foi defendida e aceita pelos jurados. “Nos mostramos ao júri as provas dos motivos que podem ter levado ao crime. Ela o chamava de corno, não cuidava das crianças. Todos esses foram motivos que levaram o júri a compor essa sentença”, afirma o advogado.

Ao todo o homem cumpriu um ano e quatro meses de prisão e será solto nesta tarde por volta das 2h30 “Já estou indo providenciar o alvará de soltura”, confirma o advogado. Se condenado, o homem poderia pegar até 15 anos por homicídio qualificado.

Entenda o caso

Na noite do dia 14 de maio de 2011, Marcio Leão atirou quatro vezes na ex-companheira na frente da casa da avó, no bairro Jardim Monumento, em Campo Grande.

Segundo o boletim de ocorrência, o padrasto da vítima, Edmilson Carlos dos Santos, informou que ele e sua enteada estavam na casa da avó dela, quando seu ex-marido chegou e pediu para conversar com ela.

O acusado Marcio Leão Cavalcante, de 28 anos, teria dito que queria retomar o relacionamento com Patrícia e pediu para que seu padrasto e o filho de quatro anos do casal deixassem os sozinhos para conversar.

Edmilson teria continuado observando a conversa pela janela da casa, quando viu que Marcio começou a atirar contra Patrícia. Ele deu quatro tiros que atingiram os ombros e a barriga da ex-mulher.

Quando a polícia chegou ao posto de saúde do bairro universitário, para onde a vítima foi encaminhada, ela estava inconsciente e foi encaminhada para a Santa Casa. (Editado às 14h17 para correção de informações)

Notícias relacionadas

24/05/2011
17h00 Vítima que levou cinco tiros de ex-marido revela detalhes da tentativa de homicídio
23/05/2011
16h12 Ex-marido ameaça mulher internada na Santa Casa e família quer proteção policial

Comentários (9)

11/09/2013 17:51
junior
isso mesmo "dete" as pessoas ficam falando sem saber do caso... vcs tinham que ter ido ver o julgamento aí quem sabe nao falassem tanta besteira...

11/09/2013 17:26
OSNOFA ZACOV
DEFESA DA HONRA. Decidiu com acerto o Júri.

11/09/2013 14:38
Gabriela Freitas
Nada no mundo justifica um crime, isso é uma prova de banalização da vida, e da a sensação de impunidade, a Lei Maria da Penha nesse e em muitos casos não é considerada.

11/09/2013 13:30
dete
essa mulher que levou os tiros no dia do juri foi la e defendeu o acusado falando que ela era a responsavel pelo ocorrido ela chamou ele de corno e deferiu tapas na cara dele que ele tinha ido pedir para ela voltar e ela agiu assim ela falando isso que vces querem que os jurados façam !!!?

11/09/2013 08:13
Lúcia Sales
Estou enganada ou estão dando o direito da pessoa atirar (pra matar) só pelo fato de ter sido xingado?, a vida vale um xingamento?, não se pode resolver de outra forma? como caminhar pro caminho de justiça realmente...vcs chamam a ISSO DE JUSTIÇA?UM AVAL PRO CRIMINOSO, ALIÁS, MAIS UM AVAL. Mueres!!atenção!!NÃO CHAMEM seus namorados de cornos nunca..pq a reação deles, poderá certa diante da justiça

11/09/2013 04:54
Arcelei Lopes Bambil
Na India as mulheres agitaram o país e agora o povo está pedindo pena de morte para os que estupraram e assassinaram uma jovem. É isso que está faltando no Brasil. Essa decisão precisa ser anulada.

Próximo 
21h38
Jovem que matou pedreiro atropelado em Coxim é preso aplicando golpes em Cuiabá
20h47
Estado é condenado em R$ 20 mil por causa de invasão da PM em residência
19h55
Soldado se passou por traficante no caso Amarildo, diz laudo da polícia
Entrevista
Prefeito rebate críticas e diz que tem de resolver até o que é atribuição do Estado
Charge do dia
Charge