Midiamax
BUSCA: 
 Capa

 Últimas Notícias

 Pimenta no Reino

 Bastidores

 Transparência

 Política

 Polícia

 Emprego

 Tecnologia

 Esportes

 Geral

 Mundo

 Brasil

 Agronegócio

 Economia

 Cultura

 Cinema

 Entretenimento
Articulistas






Espaço do Leitor
Espaço do leitor
Blogs
 Alex Fraga

 Ana Cavalheiro

 Cozinha de Raízes

 Eugênia Amaral

 Falo Blogo Escrevo

 Festas e Eventos

 João Campos Online

 Papo de Pregão
 Fernando Soares
Mais Lidas
01 Boato sobre morte de 'Alexandrinho', suspeito de matar PM, gera alvoroço entre familiares

02 Polícia captura dupla que 'tocou o terror' com assaltos seguidos em bairros de Campo Grande

03 Motorista morre a menos de dois quilômetros de casa depois de capotar carro na MS-145

04 Pela terceira vez em onze dias, viatura da PM se envolve em acidente na Capital

05 Envolvido em morte de PM em Campo Grande, Alexandrinho apresenta melhoras de saúde

Acesso Fácil
Faça da Midiamax sua página inicial

20/05/2013 11:32

Naviraiense usa regulamento da CBF como defesa contra acusação

Aumentar texto Diminuir texto

Dourados Agora/NG


O Liberal
Jacaré eliminou Paysandu e avançou à terceira fase da Copa do Brasil

O Naviraiense se apoia no Artigo 41 do Regulamento Geral das Competições da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), para se defender da acusação de ter utilizado um jogador irregular durante o primeiro jogo contra o Paysandu-PA pela segunda fase da Copa do Brasil, no último dia 8.

Os paraenses moveram uma ação contra a equipe sul-mato-grossense junto ao Supremo Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), alegando que o atacante Luís Cláudio Lima Conceição, mais conhecido como “Bahia”, teria entrado em campo aos 44 minutos do segundo tempo, com o contrato de trabalho vencido um dia antes.

Ao final dos dois jogos o Naviraiense acabou se classificando. Se for comprovada a irregularidade, o regulamento da Copa do Brasil prevê perda do dobro de pontos ao infrator, o que resultaria em uma eliminação automática. O time prejudicado, no caso o Paysandu, seguiria com as disputas da competição.

Em nota, o presidente do Jacaré do Conesul, Diomedes Valentim Cerri, garantiu que o clube agiu dentro das regras e citou o Artigo 41 do Regulamento Geral das Competições da CBF que prevê que: “Nos casos de renovação de contrato o atleta terá condições de jogo a qualquer tempo, não sendo observadas quaisquer limitações de prazo para registro, desde que a publicação do ato de renovação contratual, no BID [Boletim Informativo Diário da CBF], venha a ocorrer em prazo não superior a 15 dias contados a partir da data do término do contrato anterior”.

O Páragrafo Único ainda ressalva: “Nos casos em que a publicação no BID do ato da renovação contratual ou prorrogação ocorrer em prazo superior aos 15 dias, serão observados os prazos normais de condição de jogo previstos no regulamento da competição”. Segundo informações da Federação de Futebol de Mato Grosso do Sul (FFMS), a defesa já foi enviada à CBF e o julgamento deve ocorrer na próxima quarta-feira, no Rio de Janeiro.



Comentários (1)

20/05/2013 11:48
José Nascimento
Presidente do Naviraiense, muito cuidado que os interesses do presidente da FFMS podem não ser os mesmos de seu filiado. Lembra daquela história do OMEN, que colocou fogo na Floresta, só para atingir o macaco, desafeto seu. MUITA ATENÇÃO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

12h26
Bernardinho convoca Seleção Brasileira para Mundial de vôlei
11h06
Justiça diz que Messi sabia de fraude fiscal e o inclui em processo
10h47
Brasileiro anuncia que se naturalizará para jogar na seleção da Ucrânia
Loteria
Mega-Sena saiu para uma única aposta
Entrevista
“Queremos fomentar o comércio e ajudar as associações a conquistar espaço”, diz presidente da Faems