Você está aqui

Trump proíbe ‘transgênero’ e outras 6 palavras em documentos de órgão de saúde

Proibição é para orçamento do próximo ano

A administração do presidente Donald Trump proibiu que funcionários de uma agência do Departamento de Saúde americano usem 7 palavras e expressões em documentos que estão sendo preparados para o orçamento do próximo ano. A informação foi revelada pelo jornal “Washington Post” na noite desta sexta-feira (15).

As palavras proibidas são:

·  Vulnerável

·  Direito

·  Diversidade

·  Transgênero

·   Feto

·   Baseado em evidência

·   Baseado na ciência

Os analistas dos Centers for Disease Control and Prevention (Centros de Controle e Prevenção de Doenças, ou CDC, na sigla em inglês) foram informados da lista de palavras proibidas na última quinta-feira em uma reunião com autoridades seniores do CDC que revisam o orçamento. Um dos analistas falou ao jornal sob condição de anonimato.

Segundo o analista, os colegas presentes na reunião ficaram "incrédulos" e reagiram dizendo: "É sério?", "É brincadeira?". Entre as diversas responsabilidades dos CDCs estão trabalhos sobre a prevenção de HIV entre transgêneros e anomalias associadas ao vírus da zika, o que inclui pesquisas sobre o desenvolvimento de fetos.

O porta-voz do Departamento de Saúde e Serviços Humanos, ao qual os CDCs são ligados, disse ao jornal que “continuará a usar a melhor evidência científica disponível para melhorar a saúde de todos os americanos”.

O “Washington Post” observa que a questão de como abordar temas como orientação sexual, identidade de gênero e direito ao aborto surgiu em diversos departamentos desde que Trump tomou posse nos EUA, no início deste ano.

 

Tópicos