Você está aqui

Secretário do Vaticano renuncia após polêmica envolvendo carta a Francisco

Vaticano publicou carta de Bento XVI com trechos ocultos

Em meio à polêmica em torno de uma carta enviada pelo papa emérito Bento XVI ao papa Francisco, o prefeito da Secretaria para as Comunicações do Vaticano, monsenhor Dario Edoardo Viganó, comunicou sua renúncia ao posto nesta quarta-feira (21).

A polêmica teve início após o Vaticano publicar a carta de Bento XVI parcialmente, ocultando trechos do documento, e alegando que fora mostrando apenas “o que era considerado oportuno e relativo à ocasião”.

Foram publicadas apenas partes da carta em que Bento XVI elogiava Francisco e denunciava o “preconceito” sofrido pelo argentino por parte daqueles que o consideram um “homem prático, privado de particular formação teológica”.

“Nesses últimos dias, fui alvo de muitas polêmicas sobre a minha atuação e minhas intenções, as quais desestabilizam o complexo e grande trabalho de reforma que o Papa me confiou em junho de 2015 e que, agora, chega à fase final”, disse Viganó em carta.

“Para evitar que minha pessoa possa, de qualquer modo, retardar, danificar ou até bloquear tudo que já foi conquistado e estabelecido”, “e por amor à Igreja e ao Santo Padre, peço de aceitar meu desejo [de renunciar]”, escreveu Viganó.

Viganó entregou a carta de renúncia ao papa Francisco com data de assinatura de 19 de março. O papa aceitou a denúncia do secretário, porém pediu que permaneça atuando no dicastério “em outras modalidades”.

Tópicos