Você está aqui

Menina de 12 anos grávida é embriagada e estuprada no norte da Argentina

Garota está internada

Uma menina de 12 anos grávida de nove semanas está internada no norte da Argentina após ter sido, segundo denunciam os pais, embriagada e estuprada por vários homens, informaram à Efe fontes do hospital.

A jovem, cujo nome não foi divuldado, está hospitalizada desde a segunda-feira no Instituto de Maternidade e Ginecologia Nossa Senhora das Mercedes da cidade de San Miguel de Tucumán, com machucados e assustada, embora a gravidez não corra riscos.

Os pais da menor apontam quatro homens como culpados da agressão, um deles morador da vizinhança e suposto pai do bebê que a vítima espera.

Inicialmente, "a mãe a trouxe porque um vizinho tinha levado a menina para sua casa, a tinha dado álcool e a estuprou", explicou Daniel Amado, subdiretor médico do instituto.

Paralelamente, os pais denunciaram à polícia que a menina havia sido abusada e, atualmente, psicólogos, policiais e promotores analisam os fatos e o estado da menor.

Segundo Amado, apesar das lesões físicas não significarem riscos, a menina permanecerá internada à espera das perícias, que também deverão determinar se o entorno familiar é seguro para ela.

De acordo com a versão dos pais, a vítima tinha saído de casa no domingo, em direção à casa de uma vizinha, e os pais a encontraram horas depois, quando foram buscá-la, em estado de embriaguez.

"Conhecemos ele (suposto pai do bebê), mas os outros três não. Imagine como será esse homem, que ofereceu 500 pesos (R$ 100) ao meu marido para que não fizesse a denúncia. Claro que meu marido não aceitou e fez a denúncia", disse a mãe da vítima, segundo declarações divulgadas pelo jornal "La Gaceta", de Tucumán.

Após saber do caso, segundo a imprensa local, um grupo de vizinhos incendiou a residência do acusado, incidente que ocasionou danos materiais.

Tópicos