Você está aqui

Em crise, governo da Venezuela confisca fábrica da GM

Fábrica emitiu comunicado se dizendo surpresa

A única fábrica da General Motors (GM) na Venezuela foi confiscada pelo governo Nicolás Maduro na última quarta-feira (19). Agências de notícias revelam que não houve aviso prévio de que essa ação seria tomada pelo governo.

Apesar de o governo não se manifestar sobre o motivo do confisco, que ocorre em meio a protestos, a montadora americana, com mais de 2,7 mil funcionários no país, reagiu com indignação e anunciou o fim da produção na Venezuela.

Semelhante a ação tomada agora pelo governo Maduro, Hugo Cháves, seu antecessor, também tomou ao usar expropriações para provocar os Estados Unidos e acabar desviando a atenção internacional da grave crise econômica e da tensão política interna.

Comunicado enviado pela fábrica indica que carros e outros bens da empresa foram levados, causando prejuízo irreparável.

"A fábrica da GMV (General Motors Venezuelana) foi tomada de forma inesperada pelas autoridades, impedindo um funcionamento normal. Também outros bens da companhia, como veículos, foram retirados ilegalmente de suas instalações", disse a nota.

Diante da grave crise que fez a inflação crescer em ritmo acelerado, várias empresas têm encerrado os negócios na Venezuela. Já abandonaram investimentos no país gigantes como Ford Motor e Procter & Gamble.

Tópicos