Você está aqui

China afirma que navio de guerra dos EUA 'violou' sua soberania

Navio americano teria entrado em área chinesa no dia 17 de janeiro

O governo Chinês assegurou neste sábado (20) que enviou um navio de guerra à zona onde um destróier americano "violou" sua soberania ao navegar perto de ilhotas no disputado Mar da China meridional.

O "USS Hopper" navegou dentro das 12 milhas náuticas em torno da ilha de Huangyan na noite de 17 de janeiro sem fazer um alerta a Pequim, relatou o Ministério chinês das Relações Exteriores, referindo-se ao local por seu nome em chinês.

Também conhecido como Recife de Scarboroughl, o local se encontra a cerca de 230 km das Filipinas no Mar da China meridional e é reivindicado pelas Filipinas e por Taiwan.

O navio americano "violou a soberania e os interesses da China" e supôs uma "grave ameaça" para a segurança dos chineses que se encontravam nas proximidades, disse o porta-voz do Ministério, Lu Kang.

Em um comunicado, o Ministério chinês disse que uma fragata chinesa "imediatamente tomou medidas para identificar e verificar" as informações sobre "o navio americano e afastá-lo mediante advertências".

O "USS Hopper" se somou recentemente à zona de operação da 7ª Frota, segundo o site da Marinha dos Estados Unidos. Acrescenta que sua missão se refere "à cooperação em matéria de segurança (...) e à realização de operações de rotina na zona".

Tópicos