Você está aqui

De tanto amor pelas capivaras, Roseli ganhou até título de 'rainha' em Três Lagoas

Servidora pública virou até charge em jornal

  • Cliques de Roseli ficaram famosos na cidade e tornaram-na a 'rainha das capivaras' (Arquivo pessoal)
  • Cliques de Roseli ficaram famosos na cidade e tornaram-na a 'rainha das capivaras' (Arquivo pessoal)
  • Cliques de Roseli ficaram famosos na cidade e tornaram-na a 'rainha das capivaras' (Arquivo pessoal)
  • Cliques de Roseli ficaram famosos na cidade e tornaram-na a 'rainha das capivaras' (Arquivo pessoal)

Roseli da Silva Pereira, 45 anos é a 'rainha das capivaras' de Três Lagoas. É assim que muita gente se refere à analista judiciária que de tanto amor pelos roedores gigantes se tornou referência na cidade. Todo dia, ao deixar a filha pequena na escola, ela passa pela orla da Lagoa Maior e nesse trajeto, com o celular em mãos, faz registros fotográficos das belezas naturais que existem na região.

São imagens amadores de capivaras, jacarés, pássaros - inclusive araras - que foram parar nas redes sociais de Roseli com mensagens motivacionais. A luz bonita das primeiras horas da manhã, o cenário e a sensibilidade de Roseli renderam bons cliques, que circularam pela imprensa da região. Com o tempo, Roseli tornou-se uma espécie de colaboradora. Não por acaso ela foi homenageada com uma charge do portal Hoje Mais, como a 'rainha das capivaras' de Três Lagoas.

Roseli também tira selfies com as capivaras (Arquivo pessoal)"Eu criei o hábito de fazer as fotos e postar no meu Facebook com uma mensagem positiva, motivacional, porque era desta forma que eu me sentia. E era todo dia fazendo fotos novas, novas mensagens. Comecei a enviar algumas imagens para a imprensa, para Araçatuba, para jornais daqui... Quando eu vi já era a 'moça das capivaras' de Três Lagoas", brinca Roseli.

O que poucas pessoas sabem, no entanto, é que por trás dos sorrisos largos da 'moça das capivaras', que todo dia faz novos registros, está uma história de superação. Grávida de 31 semana, Roseli viu-se entre a vida e a morte em 2013, quando seu filho mais novo nasceu prematuro. Na época, ela saiu de Três Lagoas rumo a Campo Grande numa UTI móvel, em viagem que durou menos de três horas e meia. Na Capital, passou 10 dias internada na Santa Casa. Recebeu alta, mas precisou retornar às pressas para a unidade neonatal do hospital porque seu bebê teimou em nascer antes do tempo.

"Depois eu tive uma infecção e só depois, quando eu superei as dificuldade, é que fui informada de que meu estado era gravíssimo. Perdi sangue, precisei retirar o útero, passei 26 dias internada, ao todo. Mas me foi permitido continuar aqui, e acho que a partir disso minha vida mudou", conta.

Novo olhar

Roseli, que é mãe de Ester Gabriela, de 13 anos, Thainara, de 7 anos, e de Gustavo, 4, afirma que após superar as dificuldades de seu parto e de conseguir que seu caçula crescesse sem sequelas, passou a sorrir mais. "Eu era uma pessoa meio introvertida. Mas depois disso, é como se eu tivesse passado a ver que ao meu redor existem coisas belas. Esse episódio me fez ver a vida de outra maneira. Tudo que pra mim parecia ser insignificante deixou de ser", conta.

"Eu moro há dez anos próximo à Lagoa Maior. Antes de 2013 eu não tinha nenhuma foto daquela região", completa a analista, que agora além do celular 'lotado', guarda várias imagens no notebook. "Eu faço as fotos porque enxergo a beleza da vida, fico feliz de poder contemplar a natureza. Mas era um olhar que eu não tinha antes", explica.

Gustavo, de 4 anos, Ester Gabriela, de 13 e Thainara, de 7, filhos de Roseli (Arquivo pessoal)

.

Reviravolta

As mudanças após o nascimento de Gustavo tiveram início quando Roseli compôs poema em homenagem à escola onde estudou. A poesia foi publicada na imprensa e a partir daí, Roseli passou também a compor textos com mensagens positivas e motivacionais, muitos deles enviados às rádios locais. Até chegar nas fotografias, hábito que adquiriu ao deixar as filhas na escola.

"Eu recebi incentivo dos amigos, da família, e não parei mais de fotografar. Eu tenho carinho pelas capivaras, pelas minhas contas são cerca de 160 só na lagoa Maior. Mas também fotografo os jacarés, os pássaros. Tem todo um habitat naquela região", conta.

Charge de Gerson Henrique, publicada no portal Hoje Mais (Reprodução)

.

A charge que recebeu de homenagem foi feita pelo artista Gerson Henrique, do Hoje Mais. "O jornal nos convidou para visitar a redação e levei uma amiga comigo. Lá, falei da minha relação com as capivaras e a gente tomou um café. Quando saímos, o chargista anotou meu telefone. No outro dia, ele me ligou e pediu para acessar o site deles. Tava lá a surpresa", conta.

A partir de então, Roseli se tornou oficialmente a 'rainha das capivaras' de Três Lagoas. "Fiquei muito feliz com o título. O pessoal até brinca que eu só quero saber de capivara, mas minhas fotos tem hora e local certos, que é de manhã, quando deixo as meninas na escola", finaliza.

Tópicos