Você está aqui

Café literário apresenta livro que enfoca diálogos entre cientistas de Dourados e Assunção

Obra tem artigos de cientistas do Brasil e Paraguai.

O Grupo Literário Arandu lança nesta terça-feira em seu tradicional “Café Literário” o livro “Diálogos entre Dourados e Assunção: Brasil e Paraguai além da Fronteira Guarani” com artigos escritos por cientistas dos dois países.

O evento acontecerá às 07h30 na Livraria do Escritor e marca as comemorações do vigésimo aniversário do Grupo Arandu que congrega escritores, professores e artistas de vários municípios da região da Grande Dourados,

O livro segundo o historiador Carlos Magno Mieres Amarilha, presidente do Grupo Arandu é resultado dos esforços dos pesquisadores do município de Dourados, Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil, com pesquisadores de Assunção, capital do Paraguai, que por meio de encontros em Fóruns sobre a História do Paraguai, realizados na capital paraguaia entre brasileiros e paraguaios, possibilitou um saudável diálogo reflexivo e colaborativo entre o conhecimento prático docente e o conhecimen­to técnico-científico, entre pesquisadores e professores, entre professores e acadêmicos das Ciências Humanas, Ciências Sociais e da História.

Para Amarilha que é um dos organizadores da obra junto com o jornalista Nicanor Coelho e a professora da Universidade estadual (UEMS), Viviane Scalon é muito importante e salutar a amizade, a solidariedade, as trocas de experiências, para estreitar relacionamentos proveitosos com nossos irmãos do país vizinho e acima de tudo a colaboração por ambas as partes aumentam os ganhos de conhecimentos e amizades entre os povos.

Para incentivar um maior intercâmbio entre o município de Dourados com o Paraguai, a Prefeitura Municipal de Dourados, juntamente com a embaixada brasileira articulou reuniões com instituições paraguaias em que visa melhorar as relações do município de Dourados com o país vizinho do Paraguai.

“Com este livro queremos estabelecer negócios e promover o intercâmbio cultural entre a cidade de Dourados e Assunção. O Paraguai pretende ampliar a produção de etanol e açúcar. A cidade de Dourados se encontra como polo de manutenção industrial e de serviços do setor sucroenergético, pretende passar a atender também a indústria paraguaia com intercâmbio com cursos, serviços especializados na manutenção do setor sucroenergético. “Nesse sentido, Dourados também poderá colaborar com o Paraguai, trocando informações sobre o projeto de qualificação criado pela Prefeitura. “Estamos muito bem localizados, perto da fronteira, perto de Assução é perfeitamente viável que nossas empresas atendam o setor de manutenção no Paraguai”, disse Amarilha.

O Fórum da História do Paraguai realizado a cada dois anos em Assunção proporciona um espaço para diálogos e colaborações entre pesquisadores paraguaios e brasileiros sobre questões relacionadas com a educação, história, ciências sociais e ciências humanas.

Os artigos publicados no livro são as ideias, propostas, sínteses, ensaios, pesquisas, relatórios, textos apresentados no II Foro Del Paraguay, que tratam temas da educação, gênero, questões indígenas, escolas, poesias, religiosidades, violências, fronteiras, identidades, cultura paraguaia em MS, questões das colonizações em terras sul-mato-grossenses, dos militares brasileiros na fronteira seca com o Paraguai dos anos de 1960 em Mato Grosso, A Guerra do Paraguai contra Brasil, Uruguai e Argentina, a aviação do Paraguai na Guerra contra a Bolívia. Os textos aqui impressos são de responsabilidade de cada autor.

Tópicos