Você está aqui

Após incentivos e calote milionário, áreas da Homex vão a leilão na Capital

Empresa mexicana deu calote milionário

A massa falida da Homex Brasil Construções Ltda, empreiteira mexicana que veio para Campo Grande em 2010 com a promessa de ser a maior na construção de casas populares, mas que se tornou um pesadelo a quem confiou, nela vai leiloar o que restou do empreendimento aqui na cidade: o equivalente a 28 lotes, ou 9 mil metros quadrados.

O leilão judicial ocorre dia 29 deste março, daqui uma semana, e será promovido pela Hasta Pública, empresa leiloeira de São Paulo. Pelo anunciado, o lance inicial do leilão é de R$ 456.293,00, soma bem inferior ao prejuízo supostamente deixado pela empresa que faliu uns três anos atrás: em torno de R$ 3 milhões.

A empresa mexicana, que começou a construir apartamentos em 2011, em Campo Grande, já em 2013, entrou num colapso financeiro e deixou na mão 272 famílias que tinham financiado os imóveis que não ficaram prontos.

A empresa leiloeira informou que recurso arrecadado segue para a Justiça paulista, que decretou a falência da construtora. Por regra, o dinheiro paga primeiro causas trabalhistas e fornecedores.

Assim que anunciou o caos financeiro, quatro anos atrás, políticos questionaram os apoios recebidos pelo empreendimento mexicano. À época, o ex-prefeito Nelsinho Trad, do PTB, por meio de nota distribuída por sua assessoria de imprensa, informou que não havia cedido nenhuma área para a Homex.

Nesta segunda-feira (20), o jornal Midiamax quis saber com a assessoria da prefeitura que benefício a empresa recebeu para construir os apartamentos aqui em Campo Grande, mas até o fechamento deste material, não tinha recebido a resposta.

Os apartamentos negociados pela Homex teve o financiamento da Caixa Econômica Federal.

Em janeiro deste ano famílias de sem-teto invadiram uma área ao lado do condomínio construído pela empresa mexicana.

Tópicos