Você está aqui

Bares da Afonso Pena podem estar cometendo crime; caso está na Justiça

Denúncia foi feita pelo MPE

A suspeita de que bares localizados na Avenida Afonso Pena, a principal de Campo Grande, estejam cometendo crime ambiental ao produzir poluição sonora levou o MPE-MS (Ministério Público Estadual) a acionar a Justiça. O processo está sendo analisado pelo judiciário e pode resultar em punições aos estabelecimentos.

De acordo com a petição da promotora Andreia Cristina Peres da Silva, da 42ª Promotoria de Justiça de Campo Grande Meio Ambiente, Habitação e Urbanismo, protocolada anteontem na 1ª Vara de Direitos Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos, vários moradores que vivem na região da Chácara Cachoeira procuraram o MPE denunciando perturbação de sossego.

Vários pedidos foram feitos pela promotoria a prefeitura para que fiscalizações e possíveis punições pudessem ser feitas nos locais. A Semadur (Secretaria Municipa do Meio Ambiente e Gestão Urbana) chegou a fazer uma fiscalização no mês de junho.

Segundo o MP, em irregularidades teriam sido encontradas em uma casa de shows localizada nos altos da Afonso Pena e em um bar, na mesma avenida. Um dos estabelecimentos, inclusive, não teria alvará para estar funcionando.

Apesar das ações, a promotoria afirma que não houve qualquer tipo de punição contra os estabelecimentos, que continuam cometendo o crime ambiental.

Para que as fiscalizações e posteriormente as punições se tornem mais efetivas, a promotora pede que a prefeitura seja obrigada pelo poder judiciário a fazer as ações, principalmente no período entre 22 horas e 4 horas.

O caso segue sob análise do juiz Alexandre Antunes da Silva. A prefeitura ainda não foi notificada sobre a abertura da ação civil pública e, por isso, não foi procurada pela reportagem para mais detalhes sobre o assunto. 

Tópicos