Você está aqui

Corinthians perde de ex-lanterna após 9 jogos invicto

Falha total dá vitória à Ferroviária

O Corinthians voltou a conhecer uma derrota após 9 jogos de invencibilidade na temporada 2017. Na tarde deste sábado, na Arena da Fonte Luminosa, em Araraquara, o time paulista levou um gol irregular e perdeu da ex-lanterna Ferroviária por 1 a 0. Mesmo garantido às quartas de final, a equipe do Parque São Jorge não jogou bem e foi vazado por Alan Mineiro, jogador que pertence ao Corinthians e está emprestado ao clube do interior.

No lance mais polêmico da partida e que definiu o placar, o meia cobrou uma cobrança de pênalti e acertou a trave. Na volta, a bola bateu em Cássio e em seguida no braço de Alan Mineiro, antes de empurrar para as redes.

Antes deste domingo, o Corinthians não sabia o que era sair de campo sem pontuar há mais de um mês, desde o dia 11 de fevereiro, quando perdeu para o Santo André por 2 a 0, em Itaquera. Desde então foram nove jogos: vitórias contra Novorizontino, Audax, Palmeiras, Mirassol, Santos e Luverdende (Copa do Brasil), e empates contra Ponte Preta, Brusque e Luverdense (os dois últimos pela Copa do Brasil).

Com o resultado, o Alvinegro corre o risco de perder a melhor campanha da competição caso o Palmeiras, que enfrenta o Santos ainda neste domingo, consiga uma vitória. Com 19 pontos, porém, o time já está classificado para as quartas de final e deve confirmar nas próximas rodadas a liderança do Grupo A.

A Ferroviária, por sua vez, chega à sua segunda vitória no torneio e ganha fôlego na briga contra o rebaixamento. Na próxima rodada, o Timão tenta se recuperar diante do Red Bull, no estádio de Itaquera, às 17h (de Brasília) da quinta-feira. A AFE, por sua vez, visita o São Bernardo, quarta-feira, no 1º de maio.

O primeiro tempo da partida prometia um Corinthians envolvente, com três jogadores criativos na armação e ainda precisando provar que podem ser importantes ao clube, já classificado para o mata-mata. Moisés, Camacho, Guilherme e Marlone, as novidades promovidas por Carille, tiveram desempenho discreto em campo, ficando à sombra dos que têm atuado normalmente.

Os melhores lances da primeira etapa surgiram dos pés de Gabriel e Jadson, buscando movimentar a bola pelo lado direito. A primeira jogada perigosa saiu quando o camisa 77 achou Fagner pela direita e o lateral cruzou na segunda trave para Jô. O centroavante subiu mais alto que os zagueiros e cabeceou no contrapé de Tadeu, mas Leandro Amaro apareceu para cortar.

Depois, em nova descida de Fagner pela direita, Gabriel deu belo passe para o lateral, já dentro da área, rolar para Jadson. O meia levantou a cabeça e tentou colocar de bico no canto esquerdo do goleiro, mas acabou mandando para fora a principal oportunidades dos 45 minutos iniciais.

Logo no começo do segundo tempo, Gabriel conseguiu apagar tudo de bom que tinha feito na etapa inicial. Ao tentar proteger a bola na entrada da área, acabou desarmado e viu Alan Mineiro invadir a área. Fagner, atrasado, levantou o ex-companheiro e cometeu pênalti claro, marcado pelo árbitro Raphael Claus.

Na batida, o próprio Alan Mineiro pegou a bola e chutou, mas mandou na trave. Na sobra, a bola desviou na mão de Cássio e o armador da Ferroviária também utilizou seu braço para dominar. A bola, então, ficou limpa para ele tocar para o gol e abrir o placar, em meio a muita reclamação dos corintianos.

O tento fez com que os visitantes se lançassem ao ataque e criassem inúmeras chances de marcar, novamente com Jadson sendo o ator principal, mas o goleiro Tadeu, da Ferroviária, foi quem apareceu bem. Até os 20 minutos, ele já havia parado bom chute de primeira do camisa 77 e um chute forte de Guilherme, após escanteio.

Carille ainda tentou melhorar a produção ofensiva colocando Rodriguinho, Pedrinho, estrante da tarde, e Romero, mas a Ferroviária obedeceu à risca os pedidos do técnico PC de Oliveira, se fechou em frente à área e conquistou uma importante vitória na luta contra o rebaixamento.

Tópicos