Você está aqui

Renato admite uso de drone no Grêmio: 'mundo é dos espertos'

'Os times se utilizam de algum método de espionagem'


O Grêmio encerrou na tarde desta terça-feira a preparação para a decisão da Libertadores. Como era de se esperar, o assunto na entrevista coletiva após o treino foi a polêmica reportagem que apontou que o clube utilizou um drone espião durante toda a temporada. Após o treino, o técnico Renato Portaluppi comentou o caso.

O treinador gremista confirmou que o clube contratou uma pessoa para conseguir informações de adversários e minimizou a utilização de drones pelos espiões. Ele ainda disparou que todos os times brasileiros se utilizam de algum método de espionagem.

"Essa palhaçada eu iria perder o meu tempo, mas vamos lá. A semana passada eu vi uma notícia que a Austrália, com um drone, ficou filmando a Honduras. Agora, o nosso vice-presidente me mostrou que em 2015, o Palmeiras ou o São Paulo soltou um drone para analisar o adversário. Eu queria falar para vocês e para o Juca Kfouri, que é um cara que eu admiro muito, e falou que na época dele existiam os olheiros. Então, eu queria falar para algumas pessoas do futebol, ou que acham que entendem de futebol, que antes mesmo de eu começar a jogar futebol já tinha algumas pessoas que espionavam os adversários. Todos clubes brasileiros têm um espião, Seleção Brasileira tem um espião, o mundo todo tem um espião. Aí vocês vão me perguntar sobre o sobre. Não sei se foi usado o drone. Ele (o espião) é pago para trazer informações para o Grêmio, mas o drone já circula no mundo todo", desabafou Renato.

"Eu acho engraçado isso, as pessoas fazerem uma tempestade num copo d'água na véspera de um jogo tão importante de uma Libertadores. Se preocupando tanto por pouca coisa. Até parece que o drone foi inventado ontem à noite, que isso nunca foi feito no futebol e é a primeira vez. Será que as pessoas não tem muito mais coisas interessantes para falar além de um drone, que é usado no mundo todo? Estão falando de uma coisinha que já está aí há tempo. É como chegar num bar e pedir um chope. Como se ganha uma guerra? Usando suas formas. O mundo é dos espertos. Perguntem para outros treinadores se eles não usam espiões, mas parece que é só Grêmio que faz isso", acrescentou.

Depois de comentar a polêmica, Renato preferiu focar no confronto decisivo desta quarta-feira, contra o Lanpus, que seria, inclusive, um dos alvos do drone espião gremista. O técnico descartou o rótulo de favorito que tem sido atribuído ao clube tricolor.

"Não existe favoritismo. No momento que dois grandes clubes chegam numa final, chegaram por méritos. Então, não adianta apontar favoritos. Se tem um Real Madrid ou um Barcelona na final, eles seriam os favoritos, mas não é este o caso. Então, não tem favorito", ressaltou.

Nesta quarta-feira, às 21h45 (de Brasília), Grêmio e Lanús duelam na Arena do Grêmio pela primeira partida da final da Copa Libertadores da América 2017. O confronto de volta ocorre na próxima quarta, dia 29 de novembro, às 21h45 (de Brasília), no estádio La Fortaleza, em Buenos Aires.

Tópicos