Você está aqui

Fique atento: melhor período para contratação de temporários começa agora

Com economia em recuperação, empresários estão mais otimistas

Com a chegada do fim de ano, novas oportunidades surgem através dos empregos temporários no comércio do Estado. Na Capital, o número de contratados neste período deve ser maior que no ano anterior, conforme a ACICG (Associação Comercial e Industrial de Campo Grande). Nas estimativas da Fecomércio, as contratações devem aumentar 2,5% devido ao otimismo dos empresários neste fim de ano.

De acordo com o presidente da ACICG, João Carlos Polidoro, o cenário é otimista neste fim de ano, que vem registrando uma ligeira recuperação. “Nós temos o boletim econômico do mês de outubro que mostra que uma coisa que não tinha acontecido desde outubro do ano passado, que é a recuperação do número de empregos por dois meses consecutivos. Tivemos agosto e setembro em recuperação em relação ao mesmo período do ano passado”, explicou.

Conforme Polidoro, desde abril os números mostram que há uma tendência de recuperação, o que favorece a confiança dos empresários. “Há uma tendência de que será melhor do que o ano passado, tanto na parte de empregos quanto na parte de vendas. Há uma ligeira recuperação nas vendas do comércio e isso reflete nos empregos”, observou.

Por conta desse otimismo, o presidente acredita que o momento mais propício para contratações começa nesta quinzena de novembro. “Como houve um volume muito grande de demissão nos últimos anos, as esquipes estão muito reduzidas, então, qualquer movimentação, ela [empresa] precisa de gente. Nesta segunda quinzena, deve ter um ritmo maior de contratações em relação ao ano passado”, comentou.

No fim de ano, as áreas com vagas abertas são na parte operacional e administrativas, mas principalmente no atendimento, área que, conforme Polidoro, teve grandes desfalques no período negativo da economia.

Os fatores para a confiança do empresário são muitos, conforme Polidoro. Uma delas é justamente a aprovação da Reforma Trabalhista, que entrou em vigor no último sábado (11). Além disso, o presidente avalia que houve uma “calmaria” na política brasileira. “O que a gente percebeu é que há um otimismo por parte do empresário inclusive pela aprovação da reforma trabalhista. Isso influência também no ânimo do empresário. São pontos positivos que levaram o empresário a investir um pouco mais no seu negócio e gerar mais emprego”, explicou.

De acordo com o IPF-MS (Instituto de Pesquisa da Fecomércio-MS), este ano deve ter um aumento no número de contratações de 2,5%. A expectativa é que cerca de 5.152 vagas de empregos sejam geradas no Estado neste fim de ano.

A economista da Fecomércio, Daniela Teixeira Dias, explicou que a intenção de consumo dos clientes cresceu em comparação do ano anterior, com cerca de 20% há mais de pessoas dispostas a comprar. “A intenção de consumo melhorou. Ainda estamos em uma zona negativa, mas já está mais favorável em relação ao ano passado”, avaliou.

Outro fator mencionado por Daniela foi o resultado de datas comemorativas anteriores, onde foi registrado um aumento das vendas. “Outro fator que pode contribuir para isso é o resultado do Dia das Crianças, que teve uma melhora de 2,8% em Campo Grande, em comparação com o ano passado”, contou. O Dia dos Namorados também foi outra data positiva para o comércio, o que sinaliza a recuperação do setor.

A economista vê que a melhora no setor comercial é pautada pelas expectativas dos empresários em um fim de ano mais movimentado, pois, o cenário ainda é enfrentado longe do ideal. “A intenção de consumo está melhor logo a expectativa deles [empresários] também está melhor. Com base nessas expectativas que eles tomam as decisões como contratações temporárias, a quantidade de produtos no estoque”, comentou.

Tópicos