Você está aqui

Espetáculo comemora 10 anos de atividades do Núcleo Jair Damasceno

Obra de Fernando Pessoa será apresentada dia 25,26 e 27

Estreia neste final de semana em Campo Grande a peça “Salomé F.P”, encenada pelo Núcleo Artístico Jair Damasceno, em comemoração aos dez anos de atividades culturais na capital. O texto é do poeta, escritor e dramaturgo português Fernando Pessoa.

Na obra, o artista português apresenta a sua versão sobre a mulher que pediu a Herodes a cabeça de João Batista. Livre do caráter religioso ou de compromisso com os registros cristãos, o autor utilizou a força dramática de sua poesia para atribuir à personagem central, Salomé, tarefa de criar através dos sonhos, um enredo no qual ela narra a história de João Batista.

Segundo Damasceno, o próprio Fernando Pessoa classificou este drama como Teatro do Êxtase e a ele se juntam outros cinco, sendo “O Marinheiro” o mais conhecido e encenado. SALOMÉ, originalmente sem título, foi encontrado entre os milhares de papéis que após tratados e catalogados são apresentados ao público pela curadoria do Arquivo Pessoa, em Lisboa.  Divulgação

Com esta montagem, que não conta com patrocínio de terceiros ou verba de editais públicos, o Núcleo Artístico Jair Damasceno, comemora dez anos de atuação, totalmente voltado para a pesquisa autônoma em Artes Cênicas, disseminada através de oficinas, montagens, preparação de elencos e direção cênica de espetáculos de terceiros. Atualmente as pesquisas são concentradas em Escritura Cênica, Dramaturgia da Imagem, Linguagens Corporais e contam com a experiência de mais de 40 anos em Teatro e Dança do seu diretor Jair Damasceno.

“O meu núcleo artístico é exclusivamente voltado para a pesquisa, que considero importante na arte teatral. Trabalho com pessoa novas, jovens, não tenho interesse em profissionalizar ou fazer um grande teatro. Faço um teatro que me dá vontade, que me estimula e que me dá grande emoção.”, conta o diretor.

“SALOMÉ F.P.” conta com um elenco masculino, composto por João Pedro Xavier, Julio Cezar, Léo Reinaltt e Jair Damasceno. Faz parte da montagem uma instalação/performance com o ator Guilherme Morais e música criada e executada ao vivo por Felipe Guedes. A iluminação, feita exclusivamente com lanternas de led, está a cargo de Thaís Umar e Yuri Tavares. O figurino foi customizado por Vanda Ferreira e a arte visual foi criada por Marilena Grolli. Fotos e filmagens de Matheus Lomando.

Serviço - Dias 25, 26, 27 de novembro, no Teatral Grupo de Risco, R. José Antônio 2.170. Ingressos a R$ 10,00. Faixa etária a partir dos 15 anos.

Confira o vídeo aqui em que Jair Damasceno fala sobre o núcleo artístico.

Tópicos