Você está aqui

Vândalos depredam Ceinf duas vezes em poucos dias e moradores reclamam de abandono

Aulas não foram interrompidas

  • 'O sofá e escritório de bandido', diz comerciante da região.
  • 'Todo mundo vê, entram e bagunçam a noite porque não tem guarda', reclamam moradores.

Ações de vândalos estão virando rotina no bairro Vida Nova III, que fica na região nordeste de Campo Grande, dizem os moradores do local. Um exemplo disso são as depredações do Ceinf Nilda Almeida Coelho: em cerca de 10 dias um grupo de pessoas invadiu duas vezes a unidade educacional, causando estragos. A última vez foi na noite deste domingo (18).

De acordo com os relatos de uma funcionária do Ceinf que não quis revelar o nome, eles entram e não roubam, mas quebras as coisas. “Quebraram o playground e invadiram uma sala e danificaram todos os brinquedos”, relatou a funcionária.

Há tranca no portão de entrada do Ceinf, porém os muros que cercam a escola são baixos não oferecem proteção ao prédio. Trata-se de uma unidade nova, inaugurada em 2014.

Uma comerciante que preferiu não se identificar afirma que as invasões são recorrentes. “Todo mundo vê o que acontece, entram e bagunçam a noite porque não tem guarda”, afirma. Ela acredita que os vândalos entram pelo terreno que há no fundo da escola. O mato toma conta do local, onde há uma árvore e até um sofá.

“O sofá ali é escritório de bandido. Todos pedem limpeza e são ignorados. Tem que falar que morreu um pra vir”, explica a comerciante, quando inquirida sobre se a Polícia é acionada.

O pedreiro Mário Marcos, de 43 anos, diz que o problema acontece em todo o bairro. “É direto, virou rotina. Volta e meia estão roubando. Tem vezes que o guarda vai jantar e fica sem ninguém. Já liguei na Guarda Municipal e falaram que não fica ninguém o dia todo”, declara.

A Semed (Secretaria Municipal de Educação) informa que está ciente da situação do Ceinf e os reparos já foram solicitados à empresa que realiza manutenção nas unidades educacionais, entretanto os prejuízos ainda não foram contabilizados. Ainda de acordo com a nota da Semed, a direção do Ceinf já fez Boletim de Ocorrência e aguarda perícia no local e as aulas não foram interrompidas.

Tópicos