Você está aqui

Trabalhadores da Santa Casa e de maternidade conseguem receber 13º antes do Natal

Dinheiro estará na conta até o fim do dia, diz assessoria

Embora com atraso, funcionários da Santa Casa de Campo Grande e da maternidade Cândido Mariano vão conseguir receber o décimo terceiro salário antes do Natal. Na manhã desta sexta-feira (23), a Prefeitura encaminhou às instituições o dinheiro repassado pelo Fundo Nacional de Saúde.

De acordo com a assessoria de comunicação da Santa Casa, R$ 17, 4 milhões, necessários para cobrir a folha de pagamento dos trabalhadores, foram repassados na quarta-feira (21) pelo Fundo Nacional de Saúde ao Município. Na manhã desta sexta-feira (23), a Prefeitura encaminhou o dinheiro para a conta do Hospital.

“O setor financeiro está fazendo os depósitos e até o fim da tarde de hoje o décimo já está na conta de todos os funcionários”, informou a assessoria.

Na tarde desta quinta-feira (22), enfermeiros, farmacêuticos, técnicos de raio-x e funcionários do administrativo do hospital paralisaram as atividades por aproximadamente 2 horas, para tentar pressionar a Prefeitura da Capital a depositar os salários.

Embora o décimo terceiro dos profissionais da Santa Casa esteja garantido, a assessoria do hospital afirma que a contrapartida da Prefeitura no valor de R$ 6 milhões não foi feita. O dinheiro que deveria ter sido pago até o dia 15 é destinado ao pagamento de serviços

Na maternidade Cândido Mariano, profissionais que estavam sem receber a segunda parcela do décimo terceiro, que deveria ter sido paga até o dia 20 de dezembro, também vão receber o direito trabalhista até o fim do dia. De acordo com o presidente da instituição, o médico Alfeu Duarte de Souza, o repasse de R$ 1,162 milhão foi concluído e está na conta da instituição para ser depositado aos trabalhadores.

Fundo Nacional de Saúde

O repasse do FNS a Campo Grande é de R$ 22,9 milhões mensais, em média. O valor é distribuído pela Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) entre as unidades hospitalares conveniadas para atendimento na rede pública.

A Prefeitura de Campo Grande havia informado em nota que o próprio FNS admitiu o atraso no repasse do recurso. Tal situação se deve a problemas "de ordem orçamentária". De acordo com a Prefeitura de Campo Grande, o parcela de verba do FNS que atrasou foi justamente a última, referente a Dezembro de 2016. Ainda segundo o executivo municipal, "cada parcela, normalmente, tem sido repassada entre os dias 8 a 12 do mês".

O problema atingiu também, outros hospitais, já que segundo a Prefeitura, cerca de 70% dos recursos empregados em hospitais e clínicas que atendem pelo SUS na Capital provêm do FNS.



 

Tópicos