Você está aqui

Com ameaça de greve, prefeito diz que tem proposta pronta para médicos

Sugestão será encaminhada antes de assembleia da categoria

Nesta segunda-feira (19), depois de ser informado sobre a possibilidade de greve dos médicos da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública), o prefeito de Campo Grande Marquinhos Trad (PSD) anunciou que tem proposta pronta para a categoria, que deve se reunir nesta noite para discutir o assunto.

Sem informar detalhes sobre as negociações, o chefe do Executivo Municipal antecipou que o documento será entregue antes da assembleia, anunciada nesta manhã pelo Sinmed (Sindicato dos Médicos de Mato Grosso do Sul).

De acordo com a categoria, a Prefeitura não se posicionou oficialmente a respeito do reajuste. O prefeito, por sua vez, rebate a informação. 

"A proposta da Prefeitura está pronta e vamos apresentar antes da reunião. Não houve falta de negociação e sim de encontrar um acordo. A Prefeitura não se negou a negociar", defende.

Negociações e ameaça de greve

A categoria, que atualmente recebe salário-base de R$ 2,276 mil, pede 27% de reajuste salarial. Na última proposta feita pelo Município, foi sugerido aumento da carga horária de 12 para 24 horas semanais e salário de R$ 2,5 mil para R$ 6 mil, no entanto, a sugestão foi rejeitada e os médicos pedem posicionamento formal da Prefeitura.

A assembleia está agendada para às 19h30 de hoje, na sede do Sinmed. Conforme a assessoria de comunicação do Sindicato, são necessários apenas 10 médicos para que a pauta seja votada.

Se a maioria decidir pela greve, a categoria deve paralisar as atividades 72 horas após a votação. Nesse caso, 30% do serviço geral deve ser mantido e 70% no setor de urgência.

Tópicos