Você está aqui

Sem salário nem décimo terceiro, trabalhadores da Selco alegam passar fome

Empresa prometeu liquidar pagamentos nesta sexta

Trabalhadores da Selco - empresa de Engenharia que atua junto a Prefeitura de Campo Grande - estão com o salário do mês de janeiro e o décimo terceiro, referente ao último ano, atrasados. Alguns trabalhadores chegaram a declarar que estão passando necessidades e não conseguem comprar comida para os filhos. Eles atuam, principalmente, na operação de tapa-buracos.

Esposa de um dos trabalhadores, que preferiu não ser identificada, explica que os trabalhadores são ameaçados de demissão quando questionam sobre o pagamento. "Eles pagaram o de novembro que vence em dezembro, e não pagaram mais nada até hoje, nem o décimo terceiro, nem nada. A gente está com 3 crianças pequenas, nem comida temos, estamos praticamente passando fome", conta ela.

"Eles ainda falam que se chegam a denunciar e se souber quem foi vai mandar embora. Os empregados foram perguntar quando ia sair pagamento e falou que não tinha nada a ver", complementou ela.

Outro trabalhador afirmou que "as obras estão paradas por causa que a prefeitura não está pagando as empresa, já estamos parados há dois meses. Dinheiro nada".

A administração municipal, por meio da assessoria de imprensa, alega que os repasses para a empresa estão em dia. A Prefeitura explicou que "por cláusula contratual, a Prefeitura tem até 30 dias, após fechada a medição, para efetuar o pagamento dos serviços executados.  Ou seja,  as notas de janeiro  podem ser paga até o dia 28 de fevereiro".

"As medições referentes ao mês de janeiro serão encaminhadas nesta sexta-feira (17) para a Secretaria de Finanças e devem ser paga nos próximos dias", declarou a administração.

Advogado da empresa, Fernando Mirault alegou que os pagamentos começaram a ser efetuados na quinta-feira (16) e que todos os valores que a empresa deve aos trabalhadores serão liquidados nesta sexta-feira. De acordo com ele, são, em média, 180 funcionários.

 

Tópicos