Você está aqui

Com 30 vencidos, empresas recebem 23 ônibus novos sem ar e com 'banco duro'

Consórcio e Agências fazem mistério sobre a frota em Campo Grande

Barrados em um posto fiscal por questões tributárias, 23 ônibus novos devem chegar a Campo Grande ainda nesta semana. São os primeiros repostos nos últimos 5 anos, e são das frotas da Viação Cidade Morena e Campo Grande, que teriam cerca de 25 ônibus com mais de dez anos de uso. Os dados são desencontrados porque nem o Consórcio Guaicurus e nem as agências oficiais falam oficialmente sobre a idade da frota.

Os 23 veículos comprados neste ano, de um total de 91 carros, custaram em média R$ 400 mil cada um. Mas, apesar da novidade, os passageiros não devem se empolgar: nenhum dos modelos possui ar-condicionado e todos vieram sem bancos estofados, segundo funcionários.

A frota da Viação Cidade Morena teria, segundo planilhas não oficiais, cerca de 25 ônibus 'vencidos', ou seja, com mais de dez anos de uso. Já a Viação Campo Grande, teria entre 3 e 6 coletivos circulando com idade acima da permitida pelo contrato de concessão fechado com a Prefeitura de Campo Grande nos últimos dias da gestão de Nelsinho Trad (PTB).

A boa notícia é de que os veículos são realmente zero quilômeto, diferente do que ocorreu na última renovação da frota, quando a reportagem descobriu que os veículos novos, eram na verdade, veículos de segunda mão ‘maquiados’ para aparentar serem mais novos do que a idade real. Desta vez, os ônibus novatos foram flagrados deixando a fábrica, no Rio de Janeiro, no último sábado (18).

O conforto que o passageiro esperava também pode estar distante, levando em consideração que os bancos não são almofadados e a capacidade também é a mesma dos atuais. A nova pintura virá em duas combinações, as mesmas da antiga: branca/azul para as alimentadoras e branca/vermelha para troncais e convencionais. E os desenhos dos ipês também foram deixados de lado.

De acordo com informações apuradas pelo Jornal Midiamax, os carros deveriam ter chegado à Capital na noite de domingo, 19. Ocorre, no entanto, que os veículos ainda estão divisa de Mato Grosso do Sul com o Estado de São Paulo parados para o pagamento de tributos.

Segundo o Consórcio, o financiamento dos novos ônibus custou de R$ 20,1 milhões, por meio do programa pró transporte. Os novos carros devem substituir os ônibus vencidos que compõe a frota do Consórcio Guaicurus, empresa que comanda o transporte da Capital. 

Pelas imagens divulgadas pelo site Ônibus Brasil, é possível constatar que as empresas optaram por continuidade aos seus prefixos, ou seja, não será possível saber qual dos ônibus que já estão em circulação serão substituídos. O modelo é Marcopolo Torino 2014 com chassi Mercedes-Benz OF-1519 BlueTec 5.

O sistema de transporte coletivo conta com uma frota de 585 ônibus e idade média de sete anos. Com a renovação, a idade média da frota ficará em 4,9 anos.  A frota dos ônibus do transporte coletivo em Campo Grande não tem apresentado grande evolução no número de veículos.

De acordo com a Lei 4.584, os veículos com mais de 8 anos não devem ultrapassar 50% da frota, ficando estabelecido o limite máximo de dez anos de idade do veículo para utilização do serviço de fretamento e de 15 anos para os articulados.

A Agereg (Agência Municipal de Regulação dos Serviços Públicos) prometeu fiscalizar os ônibus a partir da troca para verificar constantemente a idade da frota. 

Conforme dados da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), em dez anos, entre 2004 e 2014, o número de ônibus não saiu da casa dos '500'. Eram 511 veículos em 2004 e passou para 583 em 2014. Dados da página do Consórcio Guaicurus indicam que a frota aumentou para 593 veículos em 2015/2016. (Fotos de Leandro de Sousa Barbosa, do Ônibus Brasil)

Tópicos