Você está aqui

Greve Santa Casa: salário de janeiro deverá ser pago, mas de dezembro não

Acordo pode garantir fim da paralisação de funcionários

Termo aditivo entre a Prefeitura de Campo Grande e a Santa Casa de Misericórdia deve por fim a paralisação que teve início na última segunda-feira (9). 

Segundo o presidente do Siems (Sindicato dos Trabalhadores na Área de Enfermagem de Mato Grosso do Sul), Lázaro Santana, na terça-feira (10) a direção do hospital informou à categoria de que o termo aditivo é uma forma de garantir o salário de janeiro e dos meses subsequentes, porém, o pagamento de dezembro continuará atrasado.

"Eles disseram que vão fazer o termo aditivo para nos passar o salário de janeiro porque dezembro é da gestão passada e ainda não tem como liberarem porque é uma questão judicial. Eles disseram que assim que assinarem o acordo, farão a publicação no Diário Oficial do Município para que o recurso seja liberado. Se isso acontecer, interromperemos a paralisação", declara.

A assessoria de comunicação da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde Pública) confirma a informação, mas destaca que uma nova reunião entre a pasta, Seplanfic (Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle) e PGM (Procuradoria Geral do Município) será realizada nesta quarta-feira (11) a fim de discutir a possibilidade de acordo.

Quanto ao salário de dezembro que ainda não foi depositado, a assessoria de comunicação da Sesau explica que a pasta já está com o recurso, porém, não consegue liberar a verba por problemas em relação ao contrato, que venceu no dia 8 de dezembro e ainda não foi renovado. 

Sobre o termo aditivo, a previsão é de que o acordo seja assinado ainda hoje, no entanto, é necessário aguardar a reunião entre as secretarias e a Procuradoria Geral do Município.

Até que a questão seja resolvida a categoria manterá o movimento com 30% do efetivo trabalhando em escala de revezamento.

 

Tópicos