Você está aqui

Descarte continua caro mesmo com dobro de empresas recebendo entulho

Preços variam de R$ 190 a R$ 240

O entulho produzido pelos moradores de Campo Grande continua saindo caro mesmo com 4 empresas habilitadas para receber descarte. Além das empresas CGA e Progemix que já realizavam o serviço, agora a Solution e a Organoeste também fazem a destinação de resíduos.

A informação é do presidente da ACLBM (Associação Campo-grandense de Locação de Bens Móveis), Bruno de Brito Curto. Ele explica que as três primeiras recebem restos de construção e alguns tipos de móveis. “Colchão, sofá e TV, por exemplo, tem problemas para ser descartados. Tem contaminantes e tem que dar destinação correta”, explica.

Já a Organoeste recebe todo tipo de material orgânico para produção de fertilizante. De acordo com informações da Fiems (Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul), os resíduos de origem vegetal e animal passam por etapas de separação, aplicação da biotecnologia, humificação, nitrificação, solubilização, esterilização, controle de qualidade e beneficiamento.

Lixo que sai caro

Entre empresas consultadas pela reportagem do Jornal Midiamax, os preços variam entre R$ 180,00 a R$ 240,00, dependendo da distância do bairro até o local de descarte e dos materiais contidos na caçamba. Segundo uma das empresas, materiais como gesso, telhas de fibrocimento, galhos e alguns tipos móveis elevam o valor da locação de R$ 200,00 para R$ 230,00. Ainda, se houver eletrodomésticos e eletroeletrônicos a caçamba não é recolhida, até o responsável retirar tal conteúdo.

Conforme a Lei n. 12.305 de 02/08/2012 que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos, todo gerador de resíduo é responsável pela sua correta destinação e descarte do mesmo, previsto também no Plano Municipal de Gestão dos Resíduos Sólidos. Portanto, o gerador de resíduos deverá recorrer a determinadas empresas para que seja realizado o transporte do resíduo e o local para o correto descarte. Consulte a lista http://www.campogrande.ms.gov.br/cgnoticias/wp-content/uploads/sites/3/2... de empresas de locação de caçamba com cadastro válido na Agetran (Agência Municipal de Trânsito).

Ponto de descarte de resíduos de grande volume

Na última segunda-feira (04) o Ecoponto do Jardim Noroeste, localizado na região leste de Campo Grande passou a receber resíduos de grande volume, tais como móveis e eletrodomésticos. O presidente da ACLBM (Associação Campo-grandense de Locação de Bens Móveis), Bruno de Brito Curto, acredita que não irá impactar na atividade.

Para Bruno a questão da fiscalização ainda é uma questão que deve receber atenção. “A questão é a regulamentação. Foi regulamentado, sabemos que é uma lei federal e todo país está passando por isso. Mas precisa de fiscalização, tanto nas obras como nas empresas que trabalham no setor. Se o material não for destinado para o local correto, vai ter concorrência desleal. Como não tem fiscalização, carroceiros e freteiros não jogam no lugar correto e o preço fica desigual e atrapalhando setor”, reclama.

Tópicos