Você está aqui

Prevista em contrato, limpeza de bueiros não é feita pela Solurb

Vereador diz que tem local sem manutenção há 6 anos

A falta de manutenção em bueiros e bocas de lobo em Campo Grande é evidente a cada chuva. Em alguns bairros, o trabalho não é realizado há pelo seis anos. O serviço que deveria ser executado pela CG Solurb - concessionária responsável pela limpeza da cidade -, como prevê o contrato de R$ 7,8 milhões com a prefeitura da Capital,  não foi obedecido nos últimos anos. A consequência é a vulnerabilidade da estrutura da cidade, que sofre a cada chuva.  

Nos últimos anos, teoricamente, a Solurb deveria prestar o serviço na região central e em grande parte da cidade, como nos bairros Maria Aparecida Pedrossian, Taveirópolis, Coronel Antonino, Jardim dos Estados, entre outros. Ocorre que, na prática, poucos locais receberam o cronograma de limpeza. Há lugares que não recebem a manutenção desde 2011, afirmou nesta manhã o vereador Ayrton Araújo (PT). “Os bairros Jardim das Perdizes, Rouxinóis, Cohab e Nashville não tem mutirão há muito tempo”.

O problema começa com o desencontro da prefeitura e empresa. O município afirma que o serviço nunca foi prestado pela concessionária, alega que não há sequer estoque de materiais para executar o procedimento. Em nota, a assessoria de imprensa informou que "o município está limitado até a compra  tampões de PV, grelhas de boca de lobo".

Área de limpeza de responsabilidade da Solurb

Enquanto isso, a própria Solurb confirmou ser responsável pelo serviço e explicou que ele é executado somente por meio de ordem de serviço, ou seja, obedece os pedidos do município. Ainda assim, a limpeza estava sendo realizada apenas pelas equipes da própria prefeitura, e inclusive pelo mutirão de combate à dengue. De acordo com a gestão municipal passada, do ex-prefeito Alcides Bernal (PP), a limpeza era feita com regularidades na região central e por demanda nas outras áreas, mas sem contar com a mão de obra da concessionária.

No meio do impasse, o prefeito Marcos Trad (PSD) anunciou nesta semana que estuda abrir licitação para contratar uma empresa exclusivamente para prestar o serviço de limpeza as tubulações para dar escoamento a águas pluviais, mas não esclareceu se a concessionária terá o contrato reduzido por não prestar o trabalho contratualizado.

Enquanto empresa e poder público não se entendem e o contrato milionário continua correndo, a situação enfrentada nos dias de chuva é de tensão. No bairro São Francisco, por exemplo, os moradores  já perderam as contas de quantas vezes a rotatória da avenida Rachid Neder ficou alagada devido à falta de escoamento da água da chuva por causa dos bueiros entupidos.

O descaso com a manutenção da infraestrutura não é novidade. Em 2015, a Justiça condenou a administração municipal a desentupir os bueiros na região do bairro Santo Amaro, no ano seguinte correu o risco de ter R$ 252 mil bloqueados de sua conta devido a falta de conservação destas tubulações.

Tópicos